Homem confessa crime contra sobrinho de ex-pugilista, mas nega roubo

0

Jefferson confessa crime (Fotos: Portal Infonet)
Na manhã desta sexta-feira, 11, durante coletiva a imprensa, o acusado de ter assassinado Paulo Roberto Coelho, sobrinho do ex-pugilista e deputado federal Acelino Popó Freitas, confessou o crime, mas negou que tenha agido para roubar. Tranquilo, Jefferson dos Santos, de 19 anos, diz que agiu porque teria sido agredido por Paulo Roberto e amigos, que não gostaram porque o suspeito esbarrou um copo de cerveja na vítima.

Em entrevista ao Portal Infonet, Jefferson, conhecido como ‘Gel de Boré’, disse que nunca usou drogas e que saiu de casa armado para se defender de um possível assalto no município de Itabaianinha. “Lá tem muito roubo de motos, por isso eu estava armado”, disse. Ele sustenta a versão do crime e diz que amigos que estavam com ele podem comprovar a agressão sofrida.

O delegado Paulo Cristiano e a delegada Gisele Theodoro
“Depois da confusão, com uns 10 minutos, ele voltou com umas 10 pessoas e começou a me agredir, aí atirei”, relata ‘Gel de Boré’, confessando, ainda, que a arma utilizada no crime foi deixada em praça pública. O revólver, segundo ele, foi encontrado atrás de um banheiro químico durante o Pré-Caju. “Eu peguei e guardei em casa, só tinha uma bala”, diz.

A delegada Regional de Itabaianinha, Gisele Theodoro Martins, disse que o crime de latrocínio, roubo seguido de morte, tem uma pena mais dura que pode chegar a 30 anos. A delegada salientou que pedirá ao poder judiciário de Itabaianinha a prisão preventiva de ‘Gel de Bore’ e que após decretada, o inquérito tem prazo de 10 dias para ser concluído. O acusado já possui um mandado de prisão temporária que foi expedida pela juíza plantonista Taiane Danusa Gusmão

A vítima foi assassinada com um tiro a queima roupa
Barroso Sande.

A delegada esclareceu ainda que testemunhas serão ouvidas na próxima semana e que pelo menos duas pessoas [que não são conhecidas das partes] que estavam na festa já foram contatadas para prestar depoimento.

Prisão

“Gel de Boró’, de 19 anos, estava escondido no município de Umbaúba, em uma localidade que fica distante dois quilômetros da sede do município. Após contato entre a polícia e os familiares do acusado, ele se entregou na delegacia de Estância na noite da última quinta-feira, 10.

Por Kátia Susanna

Comentários