Homem desaparecido está em Minas Gerais

0

Adelmo desapareceu na quarta-feira,28
O homem que estava desaparecido desde a última quarta-feira, 28, após sair do trabalho na rua Acre, no bairro Siqueira Campos, ligou para família na madrugada dessa sexta-feira, 30, informado que havia sido sequestrado e está em um hospital de Minas Gerais.

Identificado como José Adelmo Rosa Santos, 24,anos, a vítima desapareceu ao sair da panificação em que trabalha por volta das 21h. “Ele ligou com a voz um pouco “embolada” e falou para a esposa que tinha sido espancado e largado em uma estrada. Lá ele pediu ajuda para um carroceiro e foi levado até um hospital na capital mineira”, relata José Adilson Rosa, irmão do desaparecido.

O irmão ainda informou que Adelmo não possuía aparelho celular e que a ligação foi feita para o telefone fixo da família, o que dificultou saber especificamente o número de onde ele ligou. “Ele só conseguiu falar com a esposa. Não sabemos de que número ele ligou nem de que hospital. A ligação foi muito rápida”, revela.

Ainda de acordo com Adilson, o irmão não costumava passar noites fora de casa e desconhece algum tipo de envolvimento extra conjugal. “Ele sempre saia do trabalho e ia direto para casa, as vezes é que ele passava na minha casa. Nunca soube de nenhum caso e ele não era de fazer farras”, acrescenta.

Desaparecimento

Adilson diz que o irmão ligou de um hospital em Belo Horozonte
Ainda no dia do desaparecimento a esposa de Adelmo teria ligado para o cunhado por volta das 23h, perguntando pelo marido. “Quando deu meia noite eu retornei para saber se ele tinha chegado, mas ela me disse que não”, lembra.

Como na manhã da última quinta-feira, 29, Adelmo não havia comparecido ao trabalho, a família iniciou as buscas nos hospitais, Instituto Médico Legal (IML) e delegacias. Na manhã desta sexta, Adilson procurou a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública (SSP) e foi conduzido ao Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope).

SSP

De acordo com o assessor de comunicação Lucas Rosário, o caso será investigado pelo delegado Cristiano Barreto. “O secretário João Eloi, ao tomar conhecimento do fato pela imprensa na manhã de hoje [30], solicitou que o caso fosse investigado pelo Cope, até porque é uma situação atípica e inusitada”, ressalta o assessor.

Segundo Lucas o delegado já está ouvindo os familiares deverá entrar em contato com a polícia mineira. “A exemplo de outras investigações que foram feitas em parceria com a polícia de outros Estados, a polícia de Sergipe irá buscar todas as alternativas para solucionar esse caso”, pontua o assessor, destacando que nenhuma hipótese está sendo descartada pela polícia.

Por Kátia Susanna e Alcione Martins

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais