Homem matou agiota por causa de dívida de R$ 10 mil

0

Crime ocorreu na rua Via Férrea (Fotos: Portal Infonet)

Tenente Júnior explica como o homem foi preso

Vítima era pm da reserva 

O homem que matou um agiota na tarde desta segunda-feira, 23, foi preso em flagrante e confessou à Polícia Civil que cometeu o crime porque devia R$ 10 mil a vítima. O autor do homicídio foi identificado como João Soares Santos. A vítima, o agiota, era um policial militar da reserva, que se chamava João Luiz Santos Nogueira, de 52 anos.

João Soares foi preso ainda armado logo após o crime por policiais da Companhia de Policiamento de Trânsito (CPTran).  “A Rotran estava fazendo rondas nas proximidades quando recebeu a informação do Ciosp de que houve disparo de arma de fogo naquela região. Assim entrou na via, a Rotran se deparou com um homem correndo e sendo perseguido por um sargento da PM à paisana que percebeu a situação. O autor do crime acabou encurralado e foi preso”, explicou o 2º tenente Antônio de Oliveira Santos Júnior, da CPTran. 

A vítima, João Luiz, foi encontrado morto – com ferimentos de arma de fogo – dentro do próprio carro, um palio branco de placa OED 8378. O veículo foi periciado pelo Instituto de Criminalística. 

De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública, João Soares confessou que marcou um encontro com a vítima, alegando que iria saldar a dívida de R$ 10 mil, e que no local combinado, cometeu o assassinato. No Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), João Soares disse ainda que, por causa da dívida, ele e seus familiares estavam sendo ameaçados por João Luiz.

O crime ocorreu na rua Via Férra, nas imediações da avenida Quirino, no Inácio Barbosa, onde na última quinta-feira, 19, um passageiro cometeu um homicídio dentro de um veículo que prestava serviços para o aplicativo de transporte Uber.

Por Verlane Estácio

Comentários