Homem passa mal durante demolição

0

Reginaldo Pereira passou mal e precisou ser atendido (Fotos: Portal Infonet)
Durante a derrubada de casas localizadas no Riacho do Cabral, um homem começou a passar mal e vizinhos e parentes entraram em desespero. De acordo com a irmã dele, Maria José Andrade, Reginaldo Pereira de Andrade, de 40 anos, passou a apresentar um quadro depressivo após a determinação da Justiça em derrubar as casas erguidas após a liminar que impedia construções na área.

Segundo Maria José, a vítima começou a suar bastante e a apresentar dificuldades para respirar. Muito nervosa com a cena a mulher se revoltou ao pedir atendimento a uma equipe do Corpo de Bombeiros que estava no local. “Eles vieram aqui e não tem nenhum equipamento de salvamento. Vieram aqui para ajudar a derrubar as casas, mas para socorrer um ser humano eles não têm equipamento necessário”, disse.

Maria José ficou desesperada ao presenciar o irmão passando mal
Outro vizinho também estava desesperado ao presenciar o amigo precisando de atendimento médico. Segundo o homem, a viatura do Corpo de Bombeiros estava com o rádio comunicador ligado e não pôde pedir socorro ao Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu). “Fui até a viatura deles e me disseram que o rádio estava quebrado e que não podia chamar o Samu. Aqui tem tantos policiais, armaram um circo tão grande e porque eles não pediram para vir uma ambulância para atender o povo? Ou a Justiça acha que mãe e pai de família vai ver a sua casa sendo derrubada e não vai passar mal”, desabafa.

A informação é que Reginaldo Pereira de Andrade foi encaminhado para o Hospital Nestor Piva, onde recebe atendimento médico.

Por Kátia Susanna

Comentários