Idoso é morto com requinte de crueldade em povoado de SE

0
Crime choca comunidade (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

O idoso José Bonfim de Melo, 65, foi assassinado com requinte de crueldade dentro da própria residência, um humilde imóvel localizado no povoado Cardozo, em São Cristovão. Acredita-se que o crime foi praticado na noite do domingo, 1º, mas o corpo só foi encontrado na manhã desta segunda-feira, 2, por volta das 6h30, por um dos sobrinhos da vítima.

“Eu ia passando por aqui e estranhei porque as portas estavam abertas. Chamei e ninguém atendeu, decidi entrar e, quando entrei, encontrei ele lá caído no chão”, narrou Joel Santos de Melo, o sobrinho da vítima que reside no mesmo povoado e seguia com destino a Aracaju. “Estranhei porque a porta nunca ficava aberta, quando estava aberta, ele estava sentado ali na cadeira dele”, lembra o sobrinho.

O crime chocou a comunidade. Além de praticamente ser degolado, o idoso sofreu várias perfurações e teve o pênis decepado, segundo informações do sargento Ananias, da equipe da 1ª Companhia do 1º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de São Cristovão. “Ele foi ferido do pescoço e ainda arrancaram o órgão genital, uma característica de vingança, uma forma cruel”, conceituou o policial.

Idoso segura foice

Há suspeita que o assassino tenha vínculo familiar com o idoso. Trata-se do enteado de um sobrinho da vítima, que há cerca de quatro meses, seguindo Joel Melo, teve um desentendimento com o idoso. “Ele veio aqui roubar, não sei o quê porque ele não tinha nada, e meu tio deu um golpe de foice e cortou o pé dele”, contou Joel, numa referência ao enteado. “Não tem como ter outro suspeito”, crê.

Há indícios que houve reação e luta corporal entre agressor e vítima. O corpo do idoso foi encontrado ao lado da cama no cômodo onde dormia. A janela do quarto apresenta sinais de arrombamento e a vítima segurança uma foice, que ficou presa à mão direita, forte característica, na ótica da polícia, que o idoso tentou se defender do agressor. “Fizemos diligências na região, mas o suspeito evadiu-se”, comenta o sargento.

Por Cássia Santana

Comentários