Inquérito da PM aponta quem teria matado Sabrina

0

Operação desastrosa levou à morte da jovem (Foto: Arquivo Pessoal)
Foi finalizado o Inquérito Policial Militar (IPM) que apurou a desastrosa operação policial que terminou na morte da estudante Sabrina Pinheiro, 16 anos, no dia 5 de junho em Tobias Barreto. O tiro que levou a adolescente à morte teria sido disparado pelo 3º Sargento da PM Gilmar de Souza Oliveira, apontam os indícios da investigação.

De acordo com o coronel Antônio Vieira dos Santos, responsável pelo inquérito, não é possível afirmar que o sargento Oliveira seja, de fato, o culpado pela morte da garota. “Não foram feitos laudos periciais, ou seja, não há nenhuma prova técnica. Mas as circunstâncias contidas no inquérito levam a crer isso”, conta o coronel.

Após concluído, o documento teria sido entregue na tarde de ontem, 14, no gabinete do comandante geral da Polícia Militar, Carlos Pedroso, que por sua vez enviará o inquérito à corregedoria. “A partir dessas investigações a promotoria pode entender que deve denunciar o sargento”, explica coronel Vieira.

“Crime não ficará impune”, diz delegado

O delegado da cidade de Tobias Barreto, Cleones Santos Silva, já sabendo da identidade do autor dos disparos, disse na segunda, 13, que a cena do crime não havia sido violada e prometeu que a atitude não ficaria impune. “Os responsáveis serão encaminhados para a Justiça. Temos prova documental e testemunhal”, falou.

Caso as evidências não sejam suficientes para punir o culpado (ou os culpados), uma reconstituição dos fatos poderá ser feita, segundo o delegado. Caso fique comprovado que o sargento Gilmar Oliveira foi o responsável, ele poderá ser processado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

O caso

No dia 5 de junho de 2009, uma sexta-feira, a estudante Sabrina Pinheiro passeava em uma caminhonete com o namorado, também menor de idade. Uma carga no veículo chamou a atenção de policiais e fiscais de tributo, que começaram a perseguir o casal.

Com medo das consequências por dirigir sem carteira de motorista, o namorado de Sabrina não parou o carro e os policiais começaram a atirar contra o veículo. Um destes disparos atingiu a nuca de Sabrina que chegou a ser encaminhada ao hospital da cidade de Lagarto, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.  

Por Glauco Vinícius

Comentários