Insalubridade: Amese quer inspeção técnica em seis quartéis da PM

0
A Amese afirma que devido às condições de trabalho, alguns quartéis têm condição insalubre (Foto: PM/SE)

A Associação dos Militares do Estado de Sergipe (Amese) alega que a grande maioria dos quartéis da Polícia Militar (PM-SE) se encontra em estado crítico de conservação. Segundo o presidente da Amese, Sargento Vieira, a associação já recorreu à Defesa Civil Municipal e Estadual para inspeção de ao menos seis quartéis da PM. A partir da próxima segunda-feira, 8, eles pretendem acionar a Vigilância Sanitária. A Amese afirma que devido às más condições de trabalho, alguns quartéis têm condição insalubre.

Sargento Vieira diz que a situação se alastra há muito tempo e que já chegou em um nível praticamente insuportável. “Os policiais não podem trabalhar direito. As instalações estão sucateadas”, diz. Vieira conta que a Defesa Civil Municipal se propôs a vistoriar algumas instalações. “Eles irão analisar a estrutura do local. Já a Vigilância Sanitária irá constatar as péssimas condições de trabalho”, destaca.

Segundo Vieira, o contato com a Vigilância Sanitária será feito o mais breve possível. “Queremos encaminhar um ofício ao órgão já na segunda-feira, 8. As instalações estão colapsadas. Não há reparos, não há manutenção”, lamenta. Ainda segundo ele, os policiais convivem diariamente com mau-cheiro e um ambiente degradante em muitos quartéis tanto na capital quanto no interior. “Nós esperamos que possa ter uma melhora. Pois assim os policiais terão melhores condições de executar seu trabalho”, avalia.

Sargento Vieira conta ainda que a lista de quartéis em más condições de trabalho é longa. “Há alguns que apresentam uma boa estrutura. Mas são pouquíssimas”, avalia. “Eu destaco como ponto negativo as estruturas do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), Companhia de Polícia de Trânsito (CPtran), Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur). Além do muro do estacionamento do 8º Batalhão de Polícia Militar (8º/BPM), e as caixas d’água do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), assim como da Cavalaria”, resume.

Em comunicado à nossa equipe, a assessoria de comunicação da PM informou que não vai mais se manifestar sobre este assunto. Segundo à PM, “todas as providências necessárias e medidas já foram tomadas para a reestruturação de forma gradativa”, informa.

por João Paulo Schneider 

Comentários