Insatisfeitos, PMs pedem ajuda de deputados

0

Capitão Samuel fala sob os olhares da categoria
Policiais militares reuniram-se em frente à Assembléia Legislativa na manhã de hoje, 4, para pedir auxílio do Poder Legislativo na luta por um reajuste salarial em equilíbrio com o concedido à Polícia Civil. Os representantes das Associações Unidas dos Policiais criticaram a postura do Governo, mas continuam com esperança de que o canal de negociações seja retomado por uma comissão de deputados.

Para a categoria, o governador Marcelo Déda anunciou incorporação de 15% à Gratificação de Compensação por Serviços Externos (Gracoex) e a manutenção do reajuste de 10% dado em janeiro desse ano. Para o sargento Vieira, um dos representantes da categoria, o anúncio do governador foi empurrado “goela abaixo” aos militares.

Policiais reunidos em frente à Assembléia Legislativa
“Não houve conversa conosco, nem com os deputados, que queriam ser ouvidos. Se eles perderam respeito pelo Poder Legislativo, imagine com nós, simples trabalhadores”, fala. “A única esperança que nos restava foi enterrada ontem com um discurso vazio”, completa o sargento.

Mas para o capitão Samuel, a esperança ainda não acabou. “Vamos lotar a Assembléia hoje para que os deputados não votem no projeto que não tenha sido negociado e que o Poder Legislativo tenha autoridade para negociar com o governo, pelo menos até segunda-feira”, conta o capitão.

São João

Questionado se a segurança nos festejos juninos fica comprometida devido a esse clima ruim entre o governo e os policiais, o capitão Samuel respondeu indiretamente. “Quanto a isso só digo que o termo ortográfico ‘satisfação’ não existe mais dentro do vocabulário da nossa categoria”, diz.

Para o capitão Samuel, “ninguém quer quebrar o Estado, apenas querem negociação concreta e igualitária”, referindo-se à Polícia Civil, que obteve sucesso na negociação com o governo. “Com essa divisão de polícias, quem mais ganhou foram os bandidos”, finaliza.

Comentários