Internos quebram tudo no Cenam e fogem

0

Homens da Choque estão no local
Foi uma madrugada de terror no Centro de Atendimento ao Menor (Cenam). Por volta de 2h desta terça, 18, os internos começaram a bater cadeados e quebrar paredes, conseguindo estourar todas as alas da unidade. Com efetivo de agentes reduzido a 30%, nove adolescentes infratores conseguiram escapar depois de quebrar tudo o que viram pela frente.

De acordo com o agente Antônio Milton, após quebrar os cadeados que trancavam as alas, os internos se dirigiram para um espaço do centro onde ficam materiais de construção. Pegaram pedras, enxada, pá, chaves de fenda e deram início à confusão dentro do Cenam.

“Antes da fuga tentamos nos comunicar com a Fundação Renascer para solicitar apoio da Tropa de Choque. Pediram que aguardasse até o início da manhã. Por volta de 3h, quando algumas alas começaram a ser estouradas, ligamos de novo e nada. Até que às 6h vimos todos saírem correndo”, diz Antônio.

Três contra 80

Como eram três contra 80, e apenas com porretes na mão, os agentes procuraram se manter em segurança até a chegada da ajuda policial. A Rádio Patrulha (RP) chegou entre 5h30 e 6h, mas não pôde dar o apoio necessário já que sua entrada no Cenam não é permitida. A situação ficou sob controle quando o Batalhão de Choque chegou ao lugar quase às 7h.

Um agente que trabalhou no centro nesta madrugada falou que o número reduzido de servidores no momento se deve não só à paralisação da categoria, mas ao rigor da direção da instituição que teria mandado de volta para casa dois funcionários que teriam chegado alguns minutos atrasados. Segundo ele, mais de 20 internos fugiram, mas o número informado pela direção é nove.

Por volta de 7h o diretor do Cenam, Gicelmo Albuquerque, chegou à sede do órgão e foi direto para uma reunião com funcionários da administração. Ainda nesta terça, 18, ele deve falar sobre o assunto á imprensa. Durante a manhã, policiais militares fazem a segurança externa do centro e homens da Choque estão no interior do prédio.

Desde o último dia 14, os agentes do Cenam estão de braços cruzados e apenas 30% do efetivo está trabalhando. A principal reivindicação é o reajuste escalonado até 2010 de 47%.

Por Glauco Vinícius

*Reportagem alterada às 11:50 para acréscimo de informações 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais