Jogo do bicho: 21 pessoas são indiciadas, incluindo um vereador

0

Inquérito terminou no indiciamento de 21 pessoas Foto: Portal Infonet
Na manhã desta quinta-feira, 15, a Secretaria da Segurança Pública apresentou o resultado das investigações sobre o jogo do bicho no Estado. De acordo com os dados apresentados pela Secretaria da Segurança Pública (SSP), foram 21 indiciados, entre eles o vereador de Itabaiana Vardo da Lotérica que ano passado fez um discurso polêmico na Câmara de Vereadores afirmando que cerca de 90% da polícia sergipana é formada por bandidos.

“A prova documental está perfeita no sentido de comprovar o envolvimento do jogo do bicho em Sergipe com outros crimes. Com a conclusão do inquérito conseguimos fechar a atuação do jogo do bicho em Sergipe. Infelizmente checamos alguns indícios da participação de policias com a contravenção e os indiciados responderão pela lavagem de dinheiro, corrupção ativa e formação de quadrilha”,

SSP apresentou os detalhes da investigação Foto: Portal Infonet
salienta delegada do Departamento Especializado em Crimes Contra a Ordem Tributária e a Administração Pública (Deotap), Daniele Garcia.

De acordo com a delegada, a primeira operação contra a jogatina foi registrada na cidade de Itabaiana no dia 17 de dezembro do ano passado. Na época, a Polícia Civil apreendeu cerca de R$ 690 mil com os bicheiros e 15 mandados de busca e apreensão foram cumpridos.

Daniele Garcia ressaltou que além das 21 pessoas envolvidas com a contravenção penal, foram apreendidos R$ 700 mil em dinheiro, veículos, dez armas de fogo, munições e uma farta documentação que comprova o envolvimento do jogo do bicho com crimes.

O superintendente da Polícia Civil, João Batista esclareceu a finalização do inquérito e destacou que todas as informações sobre os envolvidos, incluindo os depoimentos foram encaminhados ao

A dalegada Daniele Garcia Foto: Portal Infonet
Ministério Público e ao Fórum de Itabaiana.

O superintendente ressaltou que a prática do jogo do bicho não tem nada de lúdico, pois a ação gera muita movimentação de dinheiro que pode migrar para atividades ilícitas sem gerar riqueza para o Estado. “A questão não é simplesmente fechar as bancas do jogo do bicho, mas sim montar o esqueleto da contravenção e repassar para a Justiça. As provas e indícios da ligação da contravenção com crimes estão muito explícitos no inquérito policial e são bastante consistentes”, destacou João Batista.

Segundo Daniele Garcia, pela primeira vez a Polícia Civil conseguiu mapear com detalhes esse esquema em todo o Estado. “Constatamos que para manter suas atividades em funcionamento muitos banqueiros se valem do dinheiro arrecadado do jogo para enriquecer e subornar policiais militares e civis”, disse.

Por Kátia Susanna

Comentários