Jornalista sente-se ameaçado de morte

0

Foi um desabafo dramático o do jornalista Luis Eduardo Costa, em programa de televisão da cidade, mostrando a real situação do município de Canindé do São Francisco, onde, há poucos dias, foi assassinado com um tiro de escopeta o radialista Zezinho Cazuza. Luis Eduardo Costa anunciou: o próximo a morrer sou eu.

Dizendo que continuará mantendo a FM Xingó até quando isto for possível, Luis Eduardo disse que já comunicou a situação ao governador Albano Franco e ao Ministério Público. “Canindé é um município que recebe 2 milhões e 400 mil reais ao mês, e vive em completa miséria. O município tem 40 escolas, o que daria no máximo para ensinar a 4000 estudantes, mas a prefeitura presta contas de dez mil estudantes. É preciso fazer urgentemente uma apuração sobre isso”.

Revelou a existência de uma sociedade na qual a prefeitura paga 500 mil reais ao mês que serve apenas para apaziguados receberem salários altíssimos na folha, mas na hora de pôr a mão no dinheiro, este não chega a 200 reais. “Para onde vai o resto do dinheiro?”, indaga. “É preciso com urgência mudar a situação de Canindé.

Se isto não ocorrer, entrego a chave da minha rádio ao Ministério Público e ao Ministro da Justiça. Mas quero crer que o crime perpetrado em Cazuza não ficará por isso mesmo. A Polícia tem feito seu trabalho com competência, e é isso que se espera que aconteça”, finalizou.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais