Jovem é agredida no Shopping Jardins

0

Ontem, por volta das 19 horas, uma jovem de 17 anos foi a mais nova vítima de uma suposta gangue que já há alguns meses vem aterrorizando os freqüentadores do Shopping Jardins. De acordo com o relato da mães da vítima, ela encontrava-se em casa quando recebeu uma ligação pedindo que se dirigisse ao Shopping, pois sua filha havia sofrido um desmaio.

Lá chegando, ela contou que já encontrou sua filha dentro da unidade móvel do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). “Achei que tinha sido um desmaio simples. Mas quando cheguei lá, minha filha já estava dentro da ambulância sendo levada para o Hospital Governador João Alves Filho (HGJAF). Eu fui acompanhando o Samu e chegando lá ela fez todos os exames e graças a Deus não sofreu nenhuma fratura”, conta a mãe.

Conforme o relato do grupo de amigos que acompanhava a jovem, eles estavam na entrada do Shopping que dá acesso à nova praça de alimentação, quando dois rapazes se aproximaram e um deles atacou a vítima. “Ela estava sentada na mureta da entrada. Ele puxou ela pelo cabelo, bateram e a empurraram de cima para baixo. Ela bateu a cabeça num táxi que passava no momento”, conta a mãe da vítima.

Ela acrescenta que todas as providencias estão sendo tomadas para que os culpados sejam punidos. “Eu não vou me intimidar, nem ficar quieta”, afirmou. A mãe da jovem disse ainda que um dos rapazes já foi identificado e ao que tudo indica é estudante de um colégio particular. “A partir desse dado chegaremos ao agressor”, completa, relatando que segundo depoimentos, ele teria saído correndo pelo estabelecimento depois da agressão.

Por fim, a mãe da menina observou que muitas vezes os seguranças do shopping ficam preocupados com os meninos de rua que às vezes adentram o estabelecimento em busca de comida, mas não agem contra esse jovens. “As vezes, os seguranças dos shopping chegam até a agredir os meninos de rua que entram para pedir comida ou ir no game, olhar, porque eles estão sujos e de pés descalços e por isso são tidos como trombadinhas. Mas não prestam atenção nesses agressores porque eles estão bem vestidos, calçados e são filhinhos de classe média”, concluiu a mãe.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais