Jovem mata companheira dentro da própria casa em Lagarto

0
IML segue para remover o corpo em Lagarto (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Em Lagarto, uma mulher matou a companheira aplicando golpes de arma branca. O crime foi registrado por volta de 1 hora da madrugada desta sexta-feira, 19, no povoado Colônia Treze, e a acusada assumiu a autoria do crime, alegando que não estaria suportando ser espancada. A jovem Fernanda Oliveira Santos, 24, tinha uma relação homoafetiva com Gildevanda Silva dos Santos, 43, há algum tempo e, na noite de quinta-feira, 18, elas se desentenderam dentro da própria residência.

Segundo a polícia, houve discussão entre elas e Fernanda Oliveira se armou com uma faca. Logo após o homicídio, a jovem Fernanda Oliveira se dirigiu ao Posto Policial da Colônia Treze e assumiu a autoria do crime. Aos policiais, que estão vinculados ao 7º Batalhão da Polícia Militar, a jovem Fernanda informou que não suportava as agressões que sofria, supostamente praticadas pela companheira.

Fernanda Oliveira foi detida e encaminhada à Delegacia Regional de Polícia do município de Lagarto, onde está sendo lavrado o flagrante do homicídio. O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado e uma equipe já está a caminho do município para fazer a remoção do corpo da vítima.

Drogas

O IML registrou um outro homicídio na noite desta quinta-feira, 18, em outra cidade sergipana. O jovem Cosme Lima dos Santos, 21, foi alvejado por tiros na rua 8 de setembro, em Tomar do Geru. Baleado, o jovem conseguiu correr e entrou em uma mercearia na tentativa de ser acolhido, mas não resistiu e faleceu naquele estabelecimento comercial.

O corpo do adolescente foi removido e chegou ao IML, em Aracaju, aos 55 minutos da madrugada desta sexta-feira, 19. Uma equipe da 3ª Companhia do 6º Batalhão da Polícia Militar realizou os primeiros procedimentos, mas não identificou a autoria do crime.

Os primeiros levantamentos da PM apontam para a possibilidade deste crime estar relacionado ao tráfico de drogas. As investigações serão desenvolvidas pela polícia civil.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais