Jovens voltam a se manifestar contra aumento da tarifa

0

Manifestantes tomaram a Heráclito Rollemberg (Fotos: Portal Infonet)

Flávio e Iargo, com documento de solicitação da audiência 

Flávio diz ter sido ferido por policiais 

Matheus mostra os ferimentos que diz ter vindo de balas de borracha de policiais 

O capitão J Luiz falou sobre a não realização da audiência 

Jovens e estudantes voltaram a se reunir para manifestar o descontento com o aumento da tarifa de ônibus em Aracaju. Na tarde desta sexta-feira, 9, dezenas de pessoas se reuniram na Avenida Heráclito Rollemberg, nas proximidades do Terminal de Integração do D.I.A para fazer os protestos. O ato aconteceu após a tentativa frustrada de ter auditoria popular com a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) e Prefeitura, a fim de esclarecer os gastos do transporte público da capital sergipana.

O ato contou com a presença de vários movimentos. Um dos organizadores do Movimento Não Pago, Flávio Marcel de Menezes, fala que as conversas não avançaram com a SMTT e a Prefeitura. “Nós queremos umas audiência que explique esses gastos. Nós queremos transparência, queremos diálogo com a população. Uma audiência com a participação pública e dos órgãos responsáveis”, disse Flávio.

De acordo com o representante do Não Pago, a SMTT não quis realizar a audiência. “Ficamos indignados. A população precisa saber a origem desses gastos. E eles não quiseram marcar a audiência”, disse Flávio.

Iargo Souza faz parte da Assembleia Nacional de Estudantes – Livre e fala que os atos de protesto servem para chamar a atenção das pessoas para a luta. “Nós queremos que a população saiba o que está acontecendo sobre esses gastos abusivos. Esse aumento afeta a sociedade toda”, disse o estudante.

Após não obterem êxito na audiência com a SMTT em sua sede, os manifestantes seguiram sua caminhada de protestos no sentido do Terminal do DIA. A Guarda Municipal de Aracaju (GMA), através do Grupamento Tático Operacional (GTO) acompanhou o ato dos jovens.

No caminho, alguns estudantes afirmam terem sido agredidos por policiais. “Eles atropelaram uma menina lá atrás. Saíram batendo em todo mundo, deram tiros de bala de borracha”, disse o estudante Matheus Nascimento.

De acordo com a secretaria da GMA, o uso da bala de borracha não faz parte do armamento da Guarda Municipal de Aracaju. A secretaria informou ainda que a equipe da GMA que esteve no local ainda não voltou à sede com informações sobre a operação nas manifestações.

SMTT

O capitão J Luiz, diretor de trânsito da SMTT, explicou os motivos para a não ocorrência da audiência nesta tarde. “Eles queriam encontrar o superintendente hoje. Nós informamos que só a chefe de gabinete poderia saber a agenda do superintendente. Isso não aconteceu hoje porque tivemos que suspender o expediente justamente por conta da manifestação, para evitar que pessoas se machuquem”, explicou o capitão.

O diretor de trânsito falou que os manifestantes terão respostas para os questionamentos. “Não podemos diferenciá-los do cidadão comum. Não tem como realizar a audiência hoje, mas eles terão resposta”, disse J Luiz.

Por Helena Sader e Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais