Juiz concede liberdade a diretor-presidente do Hospital de Cirurgia

0
O diretor não quis gravar entrevista (Foto: Portal Infonet)

O juiz Sérgio Fortuna Mendonça, do Plantão Judiciário, concedeu liberdade provisória, mediante pagamento de fiança, ao diretor-presidente do Hospital de Cirurgia, Milton Souza de Santana, preso nesta terça-feira, 24, acusado de posse ilegal de arma e munição de uso exclusivo de forças policiais. O diretor-presidente Milton Santana participou de audiência de custódia realizada na tarde desta terça-feira, 24, no Plantão Judiciário do Fórum Gumersindo Bessa, em Aracaju.

Para conceder a liberdade provisória ao diretor-presidente do Hospital de Cirurgia, o juiz Sérgio Fortuna vinculou a medida ao pagamento de fiança no valor de R$ 14.310,00. No âmbito da Polícia Civil, o diretor-presidente foi mantido preso por ter sido flagrado com posse de munição de arma de fogo de uso restrito de forças policiais, crime considerado inafiançável.

Na audiência de custódia, o juiz classificou como desnecessária a manutenção da prisão do diretor-presidente do Hospital de Cirurgia. “Na situação em análise, verifico a desnecessidade de segregação processual do autuado, pois nada há nos autos que comprove, concretamente, que sua liberdade constitui ameaça à ordem pública, à instrução processual ou à aplicação da lei penal, em que pese satisfatoriamente demonstrada a materialidade delitiva e a existência de indícios suficientes de autoria”, destacou o magistrado ao proclamar a liberdade provisória do acusado.

O juiz homologou o flagrante, mas classificou como cabível a liberdade provisória mediante o pagamento de fiança por ele arbitrada no valor de pouco mais de R$ 14,3 mil. Pela medida adotada pelo juiz, o diretor-presidente do Hospital de Cirurgia fica proibido de mudar de endereço sem prévia permissão da justiça, proibido de se ausentar da residência por prazo superior a oito dias e obrigado a comparecer ao Poder Judiciário todas as vezes que for intimado para atos do inquérito, da instrução criminal e julgamento.

O filho dele, André Ricardo Souza Santana, coordenador do setor de compras do hospital, também foi preso nesta terça-feira, 24, mas foi contemplado com pagamento de fiança arbitrada em 20 salários mínimos pela autoridade policial já que o crime atribuído é classificado afiançável em consequência do tipo de armamento e munição apreendidos com ele.

O Portal Infonet continua tentando ouvir a versão dos acusados, mas não obteve êxito. Após a audiência de custódia, Milton Souza Santana saiu do Fórum acompanhado por dois advogados e evitou falar com a imprensa. O advogado Luiz Antonio Cardoso Melo informou que o diretor se manifestará posteriormente sobre o episódio.

A assessoria de comunicação do hospital enviou às 18h desta terça, 24, nota à imprensa: “A respeito da ação realizada pelo Ministério Público de Sergipe, juntamente com equipes DEOTAP e COE, o Hospital de Cirurgia esclarece que em relação a esta Instituição não houve nenhuma irregularidade. A condução do Diretor Presidente do Hospital, Dr. Milton Santana, para prestar depoimento, ocorreu por motivos de razão pessoal e não diz respeito a nenhum procedimento administrativo envolvendo a Instituição. O fato teve apenas ligação com sua vida privada e não enquanto Diretor.”

Por Cassia Santana

Comentários