Justiça suspende demolições no Bugio

0

Galpão foi derrubado nesta sexta-feira, 10 (Fotos: Portal Infonet)

Após manifestação de moradores contra a derrubada de quatro casas na invasão do Riacho do Cabral, no bairro Bugio, nesta última quinta-feira, 9, uma ação civil pública da 1ª vara do Ministério Público suspendeu em até cinco dias a demolição das residências. Mas ainda na manhã desta sexta-feira, 10, um galpão foi demolido no local.

 

A decisão do MP indica que em neste prazo, a Prefeitura de Aracaju, a Emurb e a Secretaria de Patrimônio da União (SPU), devem informar a respeito da situação cadastral dos moradores e suas habitações. Além disso, deve ser identificados se as casas estão localizadas em área de preservação ambiental delimitada pelo Ministério Público Federal na petição inicial.  

 

Aragão disse que famílias irão permanecer no local até receberam assistência
Segundo o presidente da Associação dos Moradores do Bugio, José Aragão Barroso, as famílias irão permanecer nas casas até a prefeitura dar assistências aos moradores.

 

“O prazo que a Justiça determinou foi de cinco dias para que as casas não sejam demolidas. Mas se não houver essa assistência às famílias, elas irão continuar no local”, observa o presidente.

 

No dia 7 de janeiro de 2011, uma audiência será realizada com o intuito de resolver a situação de outros moradores que residem na região e que também podem ter suas casas demolidas.

Comentários