Lançada a programação da Marcha das Mulheres

0

Ato deve reunir milhares de mulheres (Foto: Arquivo Infonet)
Em luta por autonomia e igualdade, contra o machismo e o capitalismo, a Central Única dos Trabalhadores de Sergipe (CUT/SE), juntamente com a Marcha Mundial das Mulheres em Sergipe (MMM/SE) e a Universidade Tiradentes (Unit) está promovendo a Semana em comemoração ao Dia Internacional da Mulher – 08 de Março. Com o tema “Mulheres em Movimento: Construindo Igualdade de Direitos”, a programação engloba atividades que vão do dia 11 ao dia 18 de março, realizadas nos municípios de Aracaju, Itabaiana, Estância, Nossa Senhora da Glória, Propriá e Simão Dias.

Além da CUT/SE, participam do projeto outras entidades que compõe a MMM em Sergipe, como o Centro Feminista 08 de Março (CF8), a Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Sergipe (FETASE), o Movimento da Mulher Trabalhadora Rural de Sergipe (MMTR/SE), o Movimento de Mulheres Camponesas (MMC), a Casa da Doméstica, o Sindicato das Empregadas Domésticas do Estado de Sergipe e o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Purificação e Distribuição de Água e em Serviço de Esgoto do Estado de Sergipe (SINDISAN/SE); além da parceria da Universidade Tiradentes, através do Grupo de Estudos sobre a Mulher (GEM) e da coordenação do curso de Serviço Social.

De acordo com professora Jesana Batista (UNIT), uma das organizadoras do projeto, a Semana pretende promover um amplo debate sobre o grave problema da violência que mulheres sergipanas vêem sofrendo. “A expressão MULHERES EM MOVIMENTO significa ações organizadas de grupos que reivindicam direitos ou melhores condições de vida e trabalho. São ações de mulheres dispostas a combater a discriminação e a subalternidade das mulheres e que buscam criar meios para que as próprias mulheres sejam protagonistas de sua vida e história”, declarou Jesana.

Sobre o 8 de Março

Em 1910, a alemã Clara Zetkin propôs, na 2a Conferência Internacional das Mulheres Socialistas, a criação do Dia Internacional da Mulher, celebrado inicialmente em datas diferentes, de acordo com o calendário de lutas de cada país. A ação das operárias russas no dia 8 de março de 1917 é a razão mais provável para a fixação desta data como o Dia Internacional da Mulher. Com a revolução, muitos direitos foram conquistados, como o voto, a elegibilidade feminina e o direito ao aborto. Em 1922, a celebração internacional foi oficializada e o 8 de Março se transformou na data símbolo da participação das mulheres para transformarem sua condição e a sociedade como um todo.

A coordenadora da Marcha Mundial de Mulheres no Rio Grande do Sul, Cláudia Prates, traça uma retrospectiva sobre as atuações feministas ocorridas a partir do século XIX para demonstrar que a criação do Dia Internacional da Mulher não foi motivada por um único fato determinado na história. “Pensar no 8 de março nos remonta historicamente a compreender a luta das mulheres socialistas. Esse dia é resultado das mobilização das mulheres de esquerda”, enfatizou. Conforme a oradora, ao longo dos anos, o sistema capitalista foi se apropriando da data como sendo um dia comercial.

Segundo a coordenadora da Marcha Mundial de Mulheres, atualmente a opressão contra as mulheres se dá por instrumentos diferenciados e cada vez mais violentos que provém do mesmo sistema capitalista patriarcal combatido, no passado, pelas companheiras comunistas e socialistas. Se hoje os desafios encontrados são mais complexos, Cláudia afirma que também são novos os mecanismos de luta. Entre eles, ela cita o trabalho de movimentos sociais como a Marcha Mundial e a atitude de mulheres como Simone de Beauvoir, Pagu, Anita Malfatti, Tarsila do Amaral e Dilma Rousseff. “São mulheres que fazem do cotidiano o espaço de lutas”, assinalou.

Programação Aracaju 15/03/11

CAMPUS FAROLÂNDIA
Local – Auditório Pe. Melo
14h – Solenidade de Abertura
Profa. Miraci dos Santos Correia- Coordenadora do Curso de Serviço Social/Unit
Prof. Gilton Kennedy Souza Fraga- Pró-reitor Adjunto de Assuntos Comunitários e Extensão/PAACE
Profa. Jesana Batista Pereira – GEM/Unit
14h30- Composição da Mesa e Debate
Profa. Jesana Batista Pereira-GEM/Unit
Profa. Cândida Margarida-GEM/Unit
Maria da Conceição Torres Branco- CUT/MMM
Neusa Malheiros- Secretaria de Estado de Políticas Públicas para as Mulheres
Promotoria de Justiça (a confirmar)
17h- Encerramento

Local – Auditório Pe. Melo
19h-Solenidade de Abertura
Profa. Miraci dos Santos Correia- Coordenadora do Curso de Serviço Social/Unit
Prof. Gilton Kennedy Souza Fraga- Pró-reitor Adjunto de Assuntos Comunitários e Extensão/PAACE
Profa. Magaly Nunes de Góis – GEM/Unit
19h30-Composição da Mesa e Debate
Profa. Magaly Nunes de Góis-GEM/Unit
Profa. Jesana Batista Pereira- GEM/Unit
Maria Inês dos Santos Souza- CF8/Se/MMM
Maria Teles – Secretária de Estado de Políticas Públicas para as Mulheres
Adélia Moreira Pessoa- Presidente do IBDFAM – Instituto Brasileiro dos Direitos da Família/Se.
21h30- Encerramento

PROGRAMAÇÃO DOS CAMPI INTERIORES/UNIT
CAMPUS DE ITABAIANA
Local – Minishopping do Campus
19h – Solenidade de Abertura
Prof. Wagner Barreto Soares – Diretor do Campus de Itabaiana
Profa. Lizandra Vieira de Oliveira – Coordenadora Adjunta do Curso de Serviço Social de Itabaiana.
Profa. Ana Caroline Trindade dos Santos-GEM/Unit
19h30- Exibição de Documentário: Elisabeth Teixeira

20h- Composição da Mesa e Debate
Profa. Ana Caroline Trindade dos Santos-GEM/Unit
Profa. Vanda Maria Campos Salmeron Dantas- GEM/Unit
Luziete dos Santos Araújo – FETASE/MMM
Sanádia Gama dos Santos – FETASE/MMM
Rozemeire Santos – Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres de Itabaiana
Promotoria de Justiça da Comarca de Itabaiana (a confirmar)
21h30- Encerramento

CAMPUS DE ESTÂNCIA
Local – Minishopping do Campus
19h – Solenidade de Abertura
Profa. Cândida Maria de Brito- Coordenadora Adjunta do Curso de Serviço Social de Estância.
Profa. Patrícia Santos Silva-GEM/Unit
19h30- Exibição de Documentário: Elisabeth Teixeira

20h- Composição da Mesa e Debate
Profa. Patrícia Santos Silva-GEM/Unit
Profa. Maria Conceição Souza Mendonça-GEM/Unit

Fonte: CUT/SE

Comentários