Livraria não dá apoio suficiente a autores sergipanos

0

Se já é difícil para o autor sergipano encontrar seus leitores, através da publicação de livros, mais difícil ainda é o leitor encontrar os livros de autores sergipanos. É que a cidade não dispõe de livrarias e a única que ainda ostenta este título, no Shopping Jardins, cobra preços proibitivos a esses autores. Sem fazer concessões, nem olhar para o aspecto cultural de uma publicação, a livraria fica com 40% de cada livro vendido. Por isso, cada vez mais os autores sergipanos procuram descobrir alternativas para vender seus livros. Os “Amigos da Arte”, por exemplo, bolaram um aramado especial para expor seus livros dedicados à arte sergipana e entregaram a comercialização a lojas, como locadoras de vídeo, por exemplo. O resultado tem sido satisfatório. Em algumas bancas de revistas é possível encontrar os livros de sergipanos, como os trabalhos de Kátia Santana e de Murilo Mellins. Bom lembrar que banca de revista foi feita para vender revistas, não propriamente livros, mas fazer o que…

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais