Lixo e entulhos cobrem ruas de Aracaju

0
Buracos e entulhos atrapalham motoristas (Fotos: Cássia Santana / Portal Infonet)

Em Aracaju, tornou-se prática comum o gesto de carroceiros despejar dejetos, principalmente entulhos (resto de construção) em pontos variados da cidade. Aliado a esta tendência, conforme denunciam moradores e comerciantes ouvidos pelo Portal Infonet, as obras realizadas por empresas contratadas pela Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) também provocam sérios transtornos. Além do lixo acumulado, várias ruas ficam esburacadas devido à falta de eficiência dos serviços, após obras relacionadas no esgotamento sanitário e para garantir regularidade no abastecimento de água.

A rua Francisco Moreira, no Bairro Luzia, é um destes exemplos. De acordo com os moradores, diariamente há equipamentos às margens do canal que corta a rua, fazendo a coleta de dejetos, mas os problemas permanecem. “Parece que eles têm algum contrato que beneficia alguém porque nunca vi uma coisa dessas. Todos os dias eles tiram lixo e mais lixo, entulho e mais entulho e a situação sempre está assim: as ruas cobertas por entulhos, lamaçal e lixo”, comenta o comerciante Jeferson Marques.

Jeferson Marques: "parece que a PMA adora"

Ele garante que instalou seu estabelecimento comercial na esquina com a rua Abgail Ferreira há quatro anos, período que sempre testemunhou situação semelhante: os equipamentos trabalhando retirando amontoado de lixo e entulho. “Parece que nunca acaba”, informa o comerciante. O comerciante denuncia que os entulhos são corriqueiramente lançados às margens do canal, associado também ao lixo doméstico lançado por alguns moradores desinformados. “Os carroceiros jogam os restos de construção aí e fica esse lixão todo dia e parece que a Prefeitura adora que a situação permaneça desta maneira”, delata.

O estudante Dênisson Andrade revela que a situação da avenida Francisco Moreira é o reflexo de várias outras do Bairro Luzia. “Aqui neste bairro não há quem suporte. As ruas são todas assim: quando não são os buracos provocados pelas obras da Deso, são os entulhos e o lixo, que tomam conta”, comenta. “Quando chove, a situação piora, o lixo fica acumulado nos buracos e a água fica empossada junto, causando um mau cheiro insuportável”, comenta o estudante.

Máquinas sempre estão à beira de canais

Em outros bairros, os problemas também se repetem. O presidente da Associação Desportiva, Cultural e Ambiental de Aracaju (Adcar), José Dias Firmo dos Santos, um dos coordenadores do Fórum em Defesa de Aracaju, garante que situação semelhante também está presente na Rodovia dos Náufragos, na Zona de Expansão da capital. Ele revela que os serviços de extensão de rede de água tratada também deixam rastros. O presidente da ADCAR informa que nos trechos onde as obras estão sendo executadas não há recuperação do acostamento nem também da calçada destinada aos pedestres.

Minimizando transtornos

A Companhia de Saneamento de Sergipe manifestou-se a respeito das denúncias por meio de sua Assessoria de Comunicação Social. Em nota enviada ao Portal Infonet, a Diretoria Técnica da Deso reconhece que os serviços são realizados por empresas contratadas, que a danificação do asfalto é uma necessidade para a realização das obras e que a Companhia de Saneamento “tenta minimizar os transtornos de maneira responsável”.

Deso reconhece necessidade de quebrar asfalto

Na nota, a Diretoria Técnica garante que engenheiros e técnicos da Companhia de Saneamento fiscalizam as empresas contratadas e que tem adotado providências imediatas para reparar os danos ao asfalto. “Depois que a obra está terminada, o procedimento para consertar o que foi quebrado é imediato”, garante a Diretoria Técnica, na nota encaminhada ao Portal Infonet.

A Prefeitura de Aracaju também tem demonstrado preocupação com o mau hábito dos carroceiros. O prefeito Edvaldo Nogueira não apresenta detalhes, mas tem anunciado que a PMA está estudando um projeto para implantar Ecopontos, que seriam referência para os carroceiros despejarem os entulhos. Este projeto já vem sendo pensado pela PMA desde 2009. A Assessoria de Comunicação Social da Emsurb garante que o projeto está em evolução, mas não divulgou datas para o seu lançamento.

A Assessoria de Comunicação Social da Emsurb garante que, embora ainda inconcluso o projeto que prevê a instalação de Ecopontos na cidade, os carroceiros não teriam motivos para lançar os entulhos aleatoriamente nas ruas da cidade. A Assessoria de Comunicação da Emsurb garante que a cidade é abastecida por caixas coletoras distribuídas em pontos estratégicos da cidade, que atende a esta demanda. No entanto, reconhece a problemática. “A Gerência de Limpeza já está ciente deste problema e estuda a possibilidade de melhoria”, garante a jornalista Mayusane Matsunae, da Assessoria de Comunicação da Emsurb.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais