Mãe pede Justiça após cinco meses de morte de filho

0

(Foto: Arquivo Familiar)

Após cinco meses da morte de David Philipe Motta Santos que foi baleado durante uma abordagem policial no Parque dos Faróis em março desse ano, a mãe do jovem falou a equipe do Portal Infonet sobre a angústia que sente pela ausência do filho. Vanusa da Mota explica que neste sábado, 16, ocorre um evento contra o extermínio da juventude no mesmo bairro onde seu filho foi assassinado.

“Neste dia, estou triste porque não tenho meu filho perto de mim, mas as pessoas vão poder assistir um documentário que mostra que David era um menino bom que foi morto injustamente”, fala.

Vanusa relata ainda que acredita na Justiça. “Nós temos o advogado dos Direitos Humanos em Sergipe, o Dr. Thiago que tem tomado conta de tudo que diz respeito ao caso. Não temos deixado nada parado e sei que no final as coisas vão acontecer e a vitória será nossa”, diz.

Mãe diz que sente muito a falta do filho e cobra Justiça (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Oficinas de arte, apresentações culturais, um ato ecumênico e o lançamento do documentário: “Pela resistência dos autos”, em homenagem ao jovem David Phelipe, essas serão as principais atrações do ato contra o extermínio da juventude que acontece na praça de eventos do Conjunto Parque dos Faróis.

Para a articuladora do MNDH em Sergipe, Lídia Anjos, o ato será um momento de contestação à realidade cada vez mais crescente no nosso país; a morte da juventude da periferia pela ação direta da polícia militar. “Estamos organizando este ato para que possamos, a partir da homenagem ao David Phelipe, denunciar essa cruel realidade que vem se cristalizando ao nosso estado e no Brasil; a morte de jovens por uma abordagem policial que julga e mata no mesmo momento. Não podemos aceitar que a juventude continue morrendo pelas balas da polícia. A violência  por parte do Estado é inaceitável!”, afirma a articuladora em entrevista a Agência Voz.

Por Kátia Susanna

Comentários