Mais de 110 postes de Energia foram derrubados esse ano em Sergipe

0
Esse ano mais de 500 mil foram gastos com reposição de postes derrubados  (Foto: SMTT)

Em 2019, até o dia 15 de agosto, mais de 74 mil clientes ficaram sem energia elétrica em Sergipe. De acordo com a Energisa, companhia fornecedora de energia elétrica no estado, nesses casos a interrupção no fornecimento de energia foi provocada por quedas de postes. Ainda segundo a Energisa, esse ano 113 postes já tiveram que ser trocados, uma média de 20 postes derrubados por colisão de veículos.

“ Para se ter uma ideia, em 2018 nós tivemos que substituir 190 postes durante todo o ano. Em 2019, até o dia 15 de agosto, já substituímos 113 postes que foram derrubados por abarroamento. Acreditamos que esse aumento de casos se deve a chuva, esse ano choveu sete vezes mais que o mesmo período do ano passado, então a gente sabe que a pista fica molhada, o condutor as vezes não controla a velocidade, sai da pista, então o número de abarroamentos aumenta”, informa Wilton Chaves, gerente de operações da Energisa.

Wilton Chaves conta que mais de 74 mil consumidores ficaram sem energia esse ano (Foto: Portal Infonet)

A substituição de uma estrutura de energia pode levar até 12 horas para ocorrer a depender do dano. “Cada poste desse, a depender da estrutura, eu posso ficar com 10 mil clientes sem energia, vai depender de como a estrutura foi danificada. Muitas vezes quando o poste é atingindo o cabo tensiona e outros postes inclinam ou caem também, ai a reposição pode demorar até 12 horas, claro que no meio tempo fazemos um trabalho de remanejamento de cargas que é transferir os clientes para outros circuitos minimizando os impactos, mas é sempre uma dor de cabeça para quem fica sem energia”, afirma.

De acordo com os dados da Energisa, esse ano já foram gastos mais de 500 mil com substituição de postes em Sergipe, valor que é rateado na conta do consumidor. “ Se conseguirmos identificar o condutor que derrubou o poste, ele arca com os custos, mas se não conseguirmos é a Energisa quem paga, na verdade todos os clientes arcam porque esse custotermina sendo fator de rateio da conta e fator de revisão tarifária, então quem arca somos todos nós. Fora o que a gente paga de compensação para o cliente, a Annel ela determina um tempo máximo que o cliente pode ficar sem energia, se eu ultrapassar esse tempo máximo, eu acabo pagando uma compensação na conta. Em 2019 a gente já pagou 143 mil de compensação por conta abarroamento de poste”, aponta.

O gerente orienta as pessoas que vierem a se envolver em um acidente com postes de energia e os cabos ficarem sobre o veículo, a recomendação é permanecer dentro do veículo, entrar em contato com a Energisa através do 0800 79 0196 ou através do aplicativo Energisa on, e aguardar o socorro.

“Se a vida dos ocupantes do veículo não estiver em risco, o ideal é ficar dentro do carro e aguardar as equipes da Energisa chegarem ao local. Mas, caso esse carro esteja pegando fogo ou saindo fumaça, o condutor deve deixar o veículo colocando os dois pés ao mesmo tempo no chão, andar com os pés juntos e não encostar de jeito nenhum na lataria. Após se afastar uns quatro metros essa pessoa está em área segura. Quando as pessoas saem com as pernas juntas e vai andando dessa forma ela está no mesmo potencial de tensão, então ele não toma o choque. Agora se sair com perna aberta, caminhar normal ou tocar na lataria do veículo ela pode ser eletrocutada porque o veículo está energizado. Não se deve tocar e nem ficar próximos de cabos, as pessoas não sabem quando eles estão energizados ou não”, orienta.

Por Karla Pinheiro

Comentários