Médicos e MP se reúnem para decidir casos de cirurgias infantis

0

Após duas semanas sem respostas definitivas sobre o caso das cirurgias cardíacas em crianças, o Ministério Público resolveu tomar a frente e convocou uma reunião urgente para a manhã desta quinta-feira.

Neste momento, representantes do Sindicato dos Médicos, Conselho de Medicina, Secretarias Estadual e Municipal de Saúde e Ministério da Saúde estão reunidos juntamente com a promotora Euza Missano no Hospital Cirurgia para tentar chegar a uma solução sobre o assunto.

O caso, que está tendo repercussão nacional, foi objeto de matéria do Jornal da Globo. Em 45 dias oito crianças morreram pela falta de cirurgia cardíaca e a situação pode se agravar. O Hospital Cirurgia, único público capacitado a realizar a operação, alega que não está em condições por causa dos equipamentos. O Hospital do Coração, conveniado com o SUS, está limitando os atendimentos alegando que o repasse público não cobre os custos.

As decisões tomadas na audiência pública do dia 22 de dezembro não foram cumpridas, inclusive a formação da comissão para resolver o impasse. O Ministério Público, vendo a demora nas iniciativas, resolveu tomar a frente, e ontem convocou a reunião de emergência. “Foi falta de organização da parte deles”, afirmou a promotora Mônica Antunes.

No dia 8 de janeiro as decisões finais devem ser apresentadas em audiência pública, apresentando soluções para o problema. “Reconhecemos a gravidade da situação. O acordo de realizar uma cirurgia por semana em crianças de baixo peso com problemas cardíacos tem que ser cumprido”, disse José Menezes, presidente do sindicato dos médicos.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais