Megaoperação fiscaliza oficinas e ferros-velhos

0

Várias peças de origem duvidosa foram apreendidas pelos policiais
A partir de denúncias que apontavam desmanches de veículos roubados, uma megaoperação sigilosa foi deflagrada na manhã desta segunda-feira, 24, para fiscalizar oficinas e ferros-velhos na Avenida Euclides Figueiredo, zona norte da capital. Equipes formadas pelas Polícias Civil e Militar, auditores da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), representantes da Secretaria Municipal de Finanças, do Ministério Público Estadual e do Detran estiveram nos estabelecimentos para constatar possíveis irregularidades.

Segundo o capitão Gilmar Santana, da PM, pelo menos dois veículos são roubados diariamente em Aracaju, e o combate à receptação de peças roubadas pode ajudar a diminuir esse tipo de crime. “Nós da polícia já pudemos observar algumas irregularidades e apreendemos algumas peças de origem duvidosa. O roubo de veículos é uma prática que tem diminuído, e esperamos dificultar ainda mais a ação dos bandidos com esse tipo de fiscalização”, diz o capitão.

Para capitão, combate à receptação de peças roubadas diminui roubo de carros
Além da polícia, responsável pela apreensão de material irregular nos estabelecimentos, auditores e fiscais dos demais órgãos ficaram responsáveis pela observação da parte escritural e documental das oficinas e ferros-velhos. Eles se dividiram em equipes e entraram de loja em loja à procura da documentação.

“Percebemos que metade dos estabelecimentos fiscalizados estão com a documentação pendente no que diz respeito à arrecadação de imposto e ao credenciamento junto ao Detran. Essa operação busca a legalidade desses estabelecimentos. Dessa forma não ganha apenas a população, com a possível diminuição da prática criminosa, mas o Estado também com a garantia da arrecadação de impostos”, conta a delegada Nalile Castro, uma das responsáveis pela operação.

Os estabelecimentos irregulares receberão notificações dos órgãos de fiscalização, e devem regularizar sua situação o quanto antes. Ninguém foi preso durante esta manhã.

Portas fechadas e evasão

As equipes encontraram certa dificuldade em conduzir a operação sigilosa nos estabelecimentos da Avenida Euclides Figueiredo. Isso porque a notícia da operação vazou e se espalhou entre os donos das oficinas. Alguns proprietários que souberam da visita dos policiais  e fiscais com antecedência decidiram não abrir as portas dos estabelecimentos nesta manhã.

Policiais e fiscais encontraram esta oficina abandonada
Outros, ao notarem a presença das equipes, optaram por deixar o local, abandonando os estabelecimentos sem nenhum funcionário tomando conta. Em uma dessas oficinas, os policiais e fiscais não encontraram ninguém que pudesse dar explicações sobre as atividades realizadas no local.  Equipes entraram no escritório para verificar os computadores e as peças comercializadas ali. “Essas pessoas não podem se esconder por muito tempo, umas vez que
a fiscalização acontecerá de forma regular nesses e em outros estabelecimentos”, garante Nalile Castro.

Por Helmo Goes e Aldaci de Souza

Comentários