Ministério Público lança campanha de combate às drogas

0

Autoridades, gestores e religiosos estiveram presentes (Fotos: Portal Infonet)
Diversos grupos religiosos, autoridades, gestores públicos e pessoas ligadas a área de saúde participaram na manhã desta quinta-feira, 12, do lançamento do projeto “Transformando pela fé”, que propõe a prevenção do uso das drogas por meio da fé religiosa. O evento se estende até esta sexta-feira, 13, no auditório do Ministério Público Estadual (MP).

A idéia é não só prevenir e combater o alto índice de envolvimento de crianças e adolescentes com as drogas, mas também acolher espiritualmente jovens e familiares e encaminhá-los para atendimento nos programas e equipamentos de saúde, assistência, educação e lazer, repassando ao Ministério Público e a um Grupo Gestor do Projeto as dificuldades encontradas.

Dentro da programação acontecem mesas redondas, palestras e debates voltados principalmente à problemática do crack. Ao final do evento será elaborado um documento com propostas para os

O auditório ficou lotado durante o evento
gestores públicos.

De acordo com a promotora do Núcleo de Apoio à Infância e Adolescência (Naia), Mirian Teresa, o principal motivo que leva os jovens para o caminho das drogas é a degradação familiar. “O que leva os jovens às drogas é a degradação familiar, então os pais precisam compreender que agregando a família é a melhor forma de evitar que nossos filhos cresçam desorientados. Vamos apresentar um esboço do projeto em torno da gestão das drogas e a metodológica de criar barreiras. Essas questões todas serão trabalhadas”, conta.

Para o prefeito de Aracaju Edvaldo Nogueira, o Ministério Público tem desempenhado um papel importante. “Esse é um trabalho da sociedade e todos nós

Para a promotora Miriam o trabalho da família é fundamental na prevenção do uso de drogas
temos que nos envolver inclusive a imprensa, para que possamos criar uma consciência de combate às drogas. Para a resolução desse problema é preciso uma junção de três fatores. O primeiro é a presença da família no auxílio à pessoa dependente das drogas. O segundo é a repressão da polícia que tem feito um excelente trabalho de coerção do aumento das drogas. O terceiro é o acolhimento ao usuário que é uma vítima e o poder público deve entrar nesse trabalho”, afirma.

O representante da Federação Espírita de Sergipe, Agnaldo Sales, disse que a espiritualização é um caminho para o equilíbrio na forma de viver. “A busca pela espiritualização das pessoas é um caminho, com isso elas encontram o caminho para fora deste mal que é a droga e principalmente o crack”, diz.

O padre disse que a igreja é contra a descriminalização das drogas
Já o Padre Geofides disse que não se pode dar trégua a droga, pois é uma guerra sem descanso. “Queremos manifestar aqui que a igreja compreende que a droga é um mal e que se nós dermos trégua, ela irá tomar conta das nossas vidas. O cristianismo tem como principal qualidade o amor. A igreja é clara e é contra a legalização das drogas, que sufoca a essência do espírito”, considera.

 

Por Bruno Antunes

 

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais