Moema Meyre: moradores bloqueiam avenida

0

As duas vias foram bloqueadas (Foto:Portal Infonet)

Gilvaneide  Siqueira diz: " Não somos porcos para viver na lama"

Cansados de esperar a retomada das obras, moradores do loteamento Moema Meyre, bloquearam a avenida Euclides Figueiredo nos dois sentidos, no trecho próximo a rótula do bairro Lamarão, na zona norte da capital.

O bloqueio, que teve início por volta das 6h30 da manhã dessa segunda-feira, 18,não tem hora para terminar, segundo os manifestantes. “Só vamos liberar a avenida, quando alguém da prefeitura aparecer aqui. Cada dia uma história. Cadê o dinheiro da emenda? A prefeitura disse que iniciou as obras, mas na verdade cavou uns lugares, alugou os contêineres e depois não pagou aos trabalhadores e a empresa abandonou a obra”, comentou o presidente da Associação dos Moradores do Moema Meire,Márcio Vieira.

O protesto tem como objetivo cobrar o reinício das obras, o que segundo os moradores, está paralisada há alguma tempo. Ainda de acordo com os manifestantes, pouca coisa foi feita e a situação piorou.  “Nós não somos porcos para viver na lama. Somos obrigados a conviver com essa buraqueira, poeira e esgoto a céu aberto. Nossos filhos adoecendo, e a gente aguardando a boa vontade do prefeito”, comentou Gilvaneide Siqueira.

Já a moradora do Moema Meyre, Rosangela Silva, chamou a atenção para a situação no inverno. “Nos períodos de chuva a situação se agrava. Temos que conviver com a lama, que muitas vezes entram nas casas. É Muita lama misturada com o esgoto, porque não temos saneamento básico. Não podemos mais esperar de braços cruzado. Se for preciso, vamos fechar a avenida todos os dias”, desabafou.

Prefeitura

A Prefeitura de Aracaju informa que a obra do loteamento Moema Mary não está paralisada. Por conta da fragilidade do terreno, que possui muitas depressões, o ritmo de trabalho diminuiu porque era inviável fazer escavações em dias de chuva. A Prefeitura informa ainda que não há nenhuma pendência financeira com a empresa responsável pela obra. O investimento é de R$ 2,4 milhões. A previsão é que ainda esta semana as obras retomem o ritmo normal, obedecendo ao cronograma estabelecido. Após sua conclusão, a obra terá impacto positivo na redução dos alagamentos na avenida Euclides Figueiredo, já que terá uma sensível redução nos entupimentos dos canais de drenagem pluvial que escoam pela área.

A primeira etapa da obra deve ser concluída em um ano e inclui implantação da rede de drenagem pluvial, rede coletora de esgotos, terraplenagem, pavimentação e urbanização das ruas, além da contenção do morro que fica na localidade. Serão contempladas as ruas A, B, C, D, E-1, G, H, M e N. A implantação da contenção se dará na rua D. Cerca de 270 famílias serão beneficiadas diretamente com a obra, o que inclui o grupo de 46 famílias que residem nas proximidades do morro, constantemente sujeitas ao risco de desmoronamentos.

Por Alcione Martins

Comentários