Moradores de Socorro fecham via para pedir melhorias

0
População denuncia falta de pavimentação e problemas na saúde (Fotos: Portal Infonet)

Desde o início da manhã desta terça-feira, 19, moradores de seis loteamentos de Nossa Senhora do Socorro fecharam um trecho da avenida Lauro Porto para reivindicar melhorias na pavimentação da região. População também reclama sobre as deficiências na saúde e falta de creches para as crianças.

De acordo com o líder comunitário Anderson Rogério, os loteamentos Sobrado, Santa Cecília, Boa Viagem, Tupiacanga, Parque São José e Parque Nossa Senhora de Fátima sofrem com a lama que se acumula e dificulta ao acesso de veículos. “Quero que o prefeito compareça à nossa comunidade para ver a situação. O saneamento básico e infraestrutura não existem. Os ônibus quebram e isso atrasa tudo. Inclusive, o ônibus dos estudantes está desviando para não passar por lá”, informa. “Tem gente de cadeira de roda que não pode sair de casa para ir ao médico”, revela.

Há uma semana, o ônibus da linha 719 – Sobrado/ Osvaldo Aranha atolou ao passar por uma via do Povoado Sobrado. Além dos ônibus que atolam, os moradores reclamam que táxis se recusam a entrar na região.

Saneamento e Saúde

Moradora reclama da lama na região

Loteamentos passam por problemas de sanemento
Moradora denuncia problemas na saúde

“Muitas crianças pegam doença e superlotam os postos de saúde”, relatou o líder. O problema da superlotação é confirmado pela dona de casa Sandra Maria Conceição, 51, que há 39 anos mora na região. “A gente precisa de um pediatra porque a médica que tem lá atende adulto e criança. Outra coisa: para chegar no posto tem que tá assim, ó. Toda suja. É lama pra todo lado", disse. Ela também denuncia a falta de medicamentos. "Já falamos com o secretário de saúde falando que tá faltando remédio e continua faltando”, diz.

Creche

Outra reivindicação da comunidade é uma creche. Segundo o líder comunitário, cerca de 7 mil pessoas moram na região, mas a Prefeitura de Socorro informou que não é possível solicitar ao Ministério da Educação recursos para a construção de uma por causa do baixo número de crianças, além da falta de verba do própio municípiopara a manutenção.

Segundo a assessoria de comunicação da prefeitura, apesar da falta de creche, a gestão disponibiliza ônibus para os estudantes irem até outras localidades. Sobre os problemas no saneamento e na saúde, a prefeitura disse que há um mês se reuniu com os moradores para entender as reivindicações e informou que as ações para melhorias continuam.

Por Jéssica França

Comentários