Moradores do bairro São José reclamam de assaltos

0

Moradores dizem ter medo de ficar na porta de casa

“A gente não consegue ficar na porta de casa porque sempre passam menores por aqui e eles assaltam qualquer pessoa. Há cerca de dois meses a minha filha foi assaltada na porta de casa e só conseguimos pegar a bolsa dela porque meu filho correu e conseguiu pegar o ladrão”, esse é o desabafo da aposentada Edimar Santana que mora na Avenida Augusto Maynard, há 40 anos.

Falta de segurança e ausência policiais no local, também são as reclamações da aposentada Maria do Carmo que se diz prejudicada com a insegurança. “A gente observa que não têm policiais por aqui, esses menores assaltam as pessoas e ninguém faz nada”, diz.

De acordo com o jornalista Pedrito Barreto que mora nas proximidades do Iate Clube, a falta de segurança assusta a todos. “Por aqui não há policiamento, muitos flanelinhas ficam nas imediações e causam medo. Na semana passada estava saindo de um restaurante próximo a Avenida Beira Mar e por pouco não fomos abordados por cinco desses rapazes que vinham em nossa direção, certamente mal intencionados”, relata.

Faltam dados

População pede policias na região / Foto:Portal Infonet

A equipe Portal Infonet procurou o comandante de policiamento da capital, coronel Iunes, que afirmou não ter conhecimento dos fatos relatados pelos moradores. Segundo o coronel, a polícia trabalha com estatísticas e no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), não têm registro de ocorrências de assaltos naquela localidade.

“Se existe registro de ocorrência de assaltos naquela área, não tenho conhecimento porque recebemos boletins do Ciosp que servem para mapear as áreas que precisam de um reforço na segurança pública”, esclarece Iunes, destacando que a segurança da área é feita por viaturas da PM e policiais do Grupamento Especial Tático de Motos (Getam).

O responsável pelo 8º Batalhão da Polícia Militar, o tenente Coronel Robson, destacou que o bairro São José é coberto por várias viaturas que diariamente fazem o policiamento na área. E assim como Iunes, reforçou que não há estastísticas sobre assaltos na região.

“Para atender melhor a população estamos com o 8º Batalhão na sede onde ficava a antiga delegacia plantonista. Estamos fazendo diariamente a segurança do bairro. Para se ter uma idéia há muito tempo que o posto de combustível daquela localidade não registra um assalto”, conta o tenente coronel, explicando que é importante registrar as ocorrências através de um boletim.

Por Kátia Susanna

Comentários