Moradores do Coqueiral não foram despejados

0

Moradores terão mais um prazo
Moradores das 10 casas situadas em um loteamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no bairro Coqueiral, que tinha o prazo até a manhã dessa quarta-feira, 14, para desocuparem as casas, continuam no local. Representantes do Ministério Público, da Secretaria de Assistência e Inclusão Social, oficiais de justiça e Policia Militar de Aracaju se reuniram no local e entraram em um acordo.

De acordo com o oficial de justiça, Ulisse Silvânio Santos, as famílias já haviam sido avisadas da reintegração de posse. “O Juíz determinou que essas pessoas fossem retiradas, porque a empresa que realiza a obra alegou que está impedida de cumprir os prazos de entrega por conta da invasão por parte desses moradores. Eu mesmo já tive aqui pessoalmente para comunicá-los, então estamos aqui para cumprir o que manda a lei”, relatou Ulisses

Oficiais de justiça conversaram com capitão
O oficial de justiça ressaltou que a ação só seria realizada com a presença de assistentes sociais e do conselho tutelar. “Não podemos realizar essa reintegração de posse antes do conselho tutelar resolver o que será feito. Tem várias crianças e nós antes de tudo somos humanos, não vamos colocá-las na rua, sem a devida proteção”, pontuou o oficial.

O capitão Marcos Carvalho, após conversar com os representantes que estiveram presentes, comunicou aos moradores que a ação não seria cumprida. “Algumas particularidades tem que ser resolvida, como por exemplo onde ficarão as crianças, então nós entendemos que não é possível que se faça isso hoje”, explicou.

O capitão da PM também pontuou que a forma de trabalho realizada pelo grupo de gestão de conflito da polícia, do

Capitão Marcos diz que trabalho da polícia é diferenciado
qual ele faz parte, é diferenciada. “Acabou o tempo em que a polícia retirava as pessoas a força, estamos aqui para garantir a segurança delas”, comentou.

Marcos informou aos moradores que independente da suspenssão da ação na manhã dessa quarta-feira, a ação ainda será cumprida. “Não somos nós da polícia e nenhuma das pessoas que estão aqui que determinam o fim da ação de reintegração de posse. Então é importante que os moradores tenham ciência de que poderemos voltar aqui, com outra estrutura para se fazer cumprir a ordem determinada pelo juiz”, comentou.

Os moradores

Moradores continuam apreensivos
Mesmo com o não cumprimento da ação nessa quarta-feira, 14, os moradores continuam apreensivos com a situação. “Vamos tentar recorrer porque não temos para onde ir, se sairmos daqui ficaremos no meio da rua, ganhamos mais uns dias para tentar um acordo”, pontuou Anderson de Oliveira.

A moradora Mônica dos Santos, muito indignada comentou que as autoridades políticas não conseguem resolver os problemas da população carente. “Para os ricos do conjunto da Aruana o prefeito achou melhor hospedá-los em um hotel, mas para a gente ele ele está colocando na rua”, desabafou a moradora

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais