Moradores do Lamarão reclamam da constante falta de água no bairro

0
Dona Clarice diz que as contas de água estão todas pagas, mas não tem água há dias (Foto: Portal Infonet)

Os moradores do bairro Lamarão, zona norte de Aracaju, estão sem água há dias. O problema que é recorrente na região, piorou desde o início do ano. Os moradores contam que quando a água chega às toneiras é durante a madrugada e não é suficiente para abastecer a caixa d´água.

Moradores colecionam as reclamações que fazem a Deso (Foto: Portal Infonet)

Os moradores contam ainda que sempre estão ligando e indo até a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), mas o problema nunca é resolvido. “ Eu fui na Deso no dia 2 e no dia 9 de janeiro, registrei a reclamação e nada. Ligo várias vezes e o problema nunca é solucionado. Hoje foi que depois de muita reclamação mandaram um caminhão pipa, mas não deu para nada. Eu tenho criança e uma irmã com deficiência em casa e tenho que comprar água mineral para poder fazer as coisas em casa, mas a conta de água não deixa de chegar em dia”, desabafa Clarice Vieira, moradora da Rua Paulo Figueiredo há 12 anos.

Dona Maria José conta que a água no Lamarão é raridade (foto: Portal Infonet)

Outra moradora da rua há mais de 30 anos é Maria José Batista. Ela conta que água na torneira é raridade e reclama que mesmo sem água paga as contas são muito caras. “Mês passado paguei R$ 250 da conta de água, fui reclamar na Deso e me disseram que devia ter um vazamento em casa, mas água que é bom não chega. Na quarta-feira, 3h da manhã eu acordei com a torneira pingando, não deu nem para lavar os pratos que estavam na pia porque já faltou de novo, e como a água só pinga não enche a caixa, na verdade mal dá para encher os baldes, e de lá para cá não caiu mais nenhum pingo. É um sofrimento”, diz.

Comerciantes locais também sofrem com a falta de água. A funcionária de um salão de beleza conta que várias clientes estão deixando de ser atendidas porque não tem água. “ Desde segunda-feira que não chega uma gota de água no salão. A dona do salão é que fica trazendo tonéis de água da casa dela, mas nem sempre é suficiente. É muito difícil trabalhar dessa forma porque dependemos da água para fazer quase tudo e estamos perdendo dinheiro e cliente”, reclama.

A assessoria da Deso informa que enviou um caminhão pipa para a localidade e que a Companhia de Abastecimento está trabalhando para resolver o problema.

Por Karla Pinheiro

Comentários