Moradores do Padre Pedro fazem protesto

0

Bombeiros apagaram o fogo, liberando a avenida
Foi preciso a chegada do Corpo de Bombeiros para conter um protesto de moradores ocorrido na manhã dessa quarta-feira, 20, no conjunto Padre Pedro, no bairro Santa Maria. Representantes comunitários, juntamente com alguns populares, atearam fogo em pneus e fecharam a avenida principal que dá acesso ao bairro.

 Segundo o líder comunitário do conjunto Padre Pedro, Éder Alves Sobrinho, o protesto tem a intenção de chamar a atenção das autoridades sergipanas para os problemas que existem no local. “Falta de saneamento básico é a nossa principal reivindicação. Estamos com ruas intransitáveis, além de esgoto a céu aberto”, relatou Éder.

Éder diz que o bairro Santa Maria está esquecido
O líder comunitário também pontuou, que caso algum morador precise de atendimento médico não terá como ser socorrido. “Além da precariedade do posto de saúde da Santa Maria, e da sobrecarga que existe para atender tanta gente, um carro da Samu[Serviço de Atendimento Móvel de Urgência], não consegue adentrar em algumas ruas do conjunto”, explicou Éder Alves.

Quem também reclamou das condições do bairro foi a presidente da Associação de Moradores Amigos do Marivan, Cláudia Ramos. “O conjunto Marivan enfrenta as mesmas dificuldades do Padre Pedro, com a falta de saneamento, além da segurança pública precária”, ressaltou.

Boneco que segundo o lider comunitário, representava as autoridades sergipanas

Segundo Cláudia, a prefeitura esqueceu a população do Santa Maria, que vive em situação de risco constante. “Além dos índices de violência que são registrados no nosso bairro, temos que conviver com o risco de doenças graves, com a falta de higiene do local, a exemplo dessa vala que a prefeitura abriu aqui na entrada do conjunto”, explicou.

Protesto

Como forma de protesto, os moradores atearam fogo em um boneco, que segundo Éder, representava as autoridades sergipanas. “Esse é o governo de todos? Então o Santa Maria não faz parte desse todo. Estamos esquecidos e entregues a sorte. Essa é a forma que encontramos de queimar esse governo que não é nosso”, afirmou o líder comunitário.

Esgotos a céu aberto no conjunto Padre Pedro
Éder também ressaltou que uma das grandes preocupações da população do bairro é com as chuvas. “Em período de chuva a nossa situação é extremamente precária. Diversas casas são invadidas pela água que desce do morro, e que se junta com a água desse esgoto aberto aqui no conjunto”, pontuou.

Para Lourivaldo Souza, morador do bairro, a sua residência corre grande risco de inundação. “A gente aumenta as calçadas, mas não tem jeito, a água invade tudo. É uma coisa horrível, só Deus toma conta da gente nessas chuvas”, lamentou o morador.

Por Alcione Martins e Carla Sousa

Comentários