Moradores reclamam de sinalização na av. Euclides Figueiredo

0

Imprudência dos motoristas é apontado como fator mais agravante da situação
Não é difícil ouvir reclamações de moradores da avenida Euclides Figueiredo, no trecho entre a entrada do Bairro Soledade até a rótula de acesso aos bairros Lamarão e Industrial. Bastou a equipe do Portal Infonet entrevistar o dono de uma mercearia que fica às margens da via para, rapidamente, vários clientes que estavam no local manifestarem-se com a situação que se arrasta há décadas.

Carros, ônibus, motos, carroças e bicicletas amontoam-se em uma pista sem qualquer sinalização e acostamento, dando exemplos emblemáticos de imprudência no trânsito. Apenas dois quebra-molas foram instalados para tentar acidentes. Só que o efeito esperado ainda não veio.

Veículos desrespeitam sinalização e provocam acidentes com frequência
“Ninguém respeita nada por aqui. Para atravessar a avenida nos horários de pico – entre 6h e 8h da manhã e a partir das 17h – tem que ter paciência, porque não tem faixa de pedestre e nenhum carro para. Tem gente que fica aí quase meia hora para conseguir passar”, diz Bernardo Carvalho, proprietário do estabelecimento que mora no local há oito anos.

Ainda de acordo com ele, os acidentes são constantes. “No sábado 19, um carro em alta velocidade passou direto pelo quebra-mola e atropelou um pedestre aqui na frente”, conta. No dia seguinte, 20 de dezembro, ele conta que um ônibus atropelou e matou um ciclista e na segunda-feira, 21, à tarde, Bernardo diz que uma criança também foi atropelada na avenida.

Bernardo mora no local há oito anos e diz que comércio da região se prejudica
“Todo mundo acaba saindo prejudicado porque as pessoas têm medo de atravessar para comprar alguma coisa. Na época de funcionamento das escolas as crianças também passam por dificuldades para chegar às aulas”, afirma.

O homem que foi atropelado no sábado, 19, é sobrinho de Maria Anunciada dos Santos. A aposentada, que mora na região há 24 anos, já foi atropelada duas vezes. “Prometeram resolver esse problema por diversas vezes, mas até agora nada. É difícil fazer qualquer coisa: pegar ônibus, comprar comida. Só lembram da gente na época de eleição”, diz.

Maria Anunciada foi atropelada duas vezes; o sobrinho, no último sábado
Ela acrescenta que vários abaixo-assinados já foram encaminhados à Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT). “Mas nenhuma faixa de pedestre foi colocada. A gente já perdeu a conta de quantos acidentes e quantas mortes já ocorreram por aqui”, lamenta.

A dona-de-casa Edvânia Araújo, moradora do local há dois anos, e a vizinha, a também aposentada Lindinor Gomes, que reside lá há 35, diz que motoristas conscientes estão em falta naquela avenida. Segundo Lindinor, nem os que vêm das ruas que cruzam a Euclides Fugueiredo respeitam a preferencial. “Aqui o movimento é grande e a imprudência é proporcional”, compara.

Pedestres enfrentam dificuldade para atravessar diante do fluxo de carros
Edvânia diz que as motos estão entre os veículos que mais se envolvem nos acidentes. “Sem sinalização eles não respeitam mesmo. O quebra-mola só serve para os que são conscientes”, diz.

SMTT enviará equipe

Procurado pelo Portal Infonet o assessor de imprensa da SMTT, Jairo Alves, disse que uma equipe do órgão será enviada ao local para verificar a situação junto aos moradores da área e traçar possíveis soluções.

Por Diógenes de Souza e Carla Sousa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais