“Musicalidade”, por Rubens Lisboa

0

LANÇAMENTO

 

Cantora: PATRÍCIA AHMARAL

CD: “VITROLA ALQUIMISTA”

Gravadora: INDEPENDENTE

 

Um ouvinte um pouco mais atento saberá detectar, logo na primeira audição, que se trata de uma intérprete com grande percepção das técnicas do canto. Não que isso limite ou tolde a emoção que salta aos ouvidos faixa a faixa e que se amolda a cada canção como ela assim lhe pede, mas o fato é que a formação erudita de Patrícia Ahmaral permeia o seu segundo CD, intitulado sugestivamente de “Vitrola Alquimista”, e lançado recentemente de maneira independente (muito embora tenha contado com o patrocínio do Governo do Estado de Minas Gerais e com o apoio da Telemig Celular), seja na forma correta de respirar, seja na certeira colocação de voz, seja na maneira como emite as notas de cada frase musical.

 

Patrícia é mineira e chega a seu segundo trabalho depois de uma feliz estréia em 2001 quando lançou “Áh!”, trabalho produzido pelo talentoso Zeca Baleiro. Naquele disco, já se veria o lado inquieto da cantora ao pinçar, por exemplo, “Máquina de Escrever” (de Luís Capucho e Mathilda Kóvak) e “Perto Demais de Deus” (de Chico César) e pô-las ao lado das apropriadas regravações de “Cabras Pastando” (do ‘maldito’ Sérgio Sampaio) e de “A Volta do Boêmio” (de Adelino Moreira), sucesso atemporal do repertório de Nélson Gonçalves.

 

Neste seu recém-lançado CD, a vontade de ousar continua intacta, ou melhor, aprimorou-se com a vivência que só o tempo pode dar a um artista. Trata-se incontestavelmente de um dos melhores lançamentos do ano de 2004. É um daqueles discos que dá vontade de pôr embaixo do braço e levá-lo para todos os lugares aonde se vai, de forma que fica até difícil destacar algumas faixas.

Todavia, não há como deixar de ressaltar o belo trabalho feito nas releituras de “Mixturação” (de um outro ‘maldito’: Wálter Franco) e de S.O.S. (de Raul Seixas), posto que ambas terminaram por encontrar as suas versões definitivas. Isso sem falar de “Cabelos Longos”, esquecida canção resgatada de um dos primeiros discos de Alceu Valença e recarregada de viço e energia.

 

Dentre as inéditas, o balanço contagiante de “Carmem Carolina” (de Christian Maia e Renato Negrão) faz par com os achados inteligentes de “Mercedes Benz” (de Ricardo Aleixo e Gil Amâncio). O padrinho Zeca Baleiro não podia – claro! – ficar de fora e “Amargo” (anteriormente registrada no segundo e pouco inspirado CD de Adriana Maciel) se torna aqui um dos mais belos momentos do disco. Arriscando-se na arte de compor, a própria Patrícia nos apresenta outras duas ótimas faixas: o inspirado samba “A Outra Beleza” (parceria com Renato Villaça), em que conta com a participação especial de mais um ‘maldito’: Jards Macalé, e a simples, mas gostosa faixa que dá título ao CD.

 

Fechando com chave de ouro o trabalho, a face mais clássica de Patrícia vem à tona e o vigoroso registro de “Quem Sabe” (de Carlos Gomes e Bittencourt Sampaio), que também abre o CD em forma de vinheta, chega para arrepiar!

Para  adquirir o CD em tela, só há uma forma, pelo menos por enquanto: é acessar o site da cantora, cujo endereço é: www.patriciaahmaral.com.br. E assim curtir os maravilhosos momentos que a excelente música de Patrícia pode proporcionar! 

 

NOVIDADES

 

·                     No próximo sábado, dia 8 de janeiro, a sergipana Amoroza estará fazendo um show super especial em Santo Amaro da Purificação (BA), terra em que nasceram Caetano Veloso e Maria Bethânia e onde até hoje reside a mãe de ambos, a famosa Dona Canô. O convite para a apresentação surgiu de Rodrigo, irmão dos dois baianos mais ilustres da nossa MPB, os quais estarão presentes e assim poderão conhecer o talento da nossa guerreira cantora e estrela maior!

·                     A Banda Alapada, a de maior sucesso atualmente em terras sergipanas, acaba de lançar o seu primeiro CD, o qual recebeu o título de “Diversidade” e foi gravado no Estúdio Capitania do Som, de propriedade do talentoso Neu Fontes. Composta por cinco integrantes, Alapada destaca-se no cenário do pop-rock deste Estado pelas canções direcionadas ao público jovem e pela energia que caracteriza as suas apresentações. As músicas, todas inéditas, são de autoria do vocalista Naná Escalabre (filho da cantora Gwendolyn Thompson) e do baixista Gutierre de La Peña (irmão do cantor Minho San Liver) e dentre os destaques encontram-se: “Nó de Marinheiro”, “Fora de Comando” e “Iara”.  A banda conta ainda com as presenças de Júlio Fonseca (na bateria) e de Evandro Schiruder e Rafael Costello (nas guitarras).

·                     Em seu mais novo DVD (“Estampado – Um Instante Que não Pára”), já nas lojas, a mineira Ana Carolina, além de seus maiores sucessos, interpreta “Sinais de Fogo”, de sua autoria em parceria com o gaúcho Totonho Villeroy, canção que virou a faixa de trabalho do primeiro e bobinho CD da arteira Preta Gil. Ana também registrou no vídeo a sua versão para “Eu Gosto de Mulher”, antigo hit da banda “Ultraje a Rigor”. Bem resolvida a garota, não?

·                     No DVD “Lenine In Cité”, além de canções conhecidas que não foram incluídas no CD homônimo (tais como: “Candeeiro Encantado”, “Paciência” e “Jack Soul Brasileiro”), há ainda, como exclusividade do vídeo, a boa e inédita canção “Crença”, parceria com Dudu Falcão.

·                     No recém lançado DVD baseado no seu show “Pet Shop Mundo Cão – A Ópera Infame”, Zeca Baleiro apresenta, pela primeira vez em sua voz, a divertida canção de sua autoria “Vou de Madureira” (gravada originalmente pelas Frenéticas no CD “Pra Salvar a Terra”, lançado em 2002), embora não na sua versão integral. Além dela, há também novos registros para “A Prosa Impúrpura do Caicó” (de Chico César) e para “Juízo Final” (de Nélson Cavaquinho e Élcio Soares).  Não dá para perder!

·                     Enquanto Joyce garante pôr nas lojas em fevereiro próximo o seu primeiro e esperado DVD, Maria Bethânia confirma o lançamento do CD em que canta músicas de Vinícius de Moraes para este verão de 2005. Também Alceu Valença e Geraldo Azevedo, ambos com CDs de inéditas já prontos, resolveram esperar que o novo ano chegasse para poderem realizar os lançamentos de seus respectivos trabalhos.

·                     De outra parte, enquanto o excêntrico e criativo Jards Macalé finaliza CD em que grava canções com letras do poeta Wally Salomão, João Donato comemora a sua terceira parceria com Martinho da Vila intitulada “Suco de Maracujá”.

·                     Em mais uma edição do Projeto MTV Ao Vivo, está nas lojas o novo CD de Rita Lee. Embalada pelo sucesso de seu último álbum de estúdio, o bom “Balacobaco”, a tia do rock brasileiro lança um trabalho que não deixa de ser prazeroso, comprovando que o tempo não lhe retirou o espírito criativo. Entre regravações de sucessos eternos (“Saúde”, “Mamãe Natureza” e “Baila Comigo”, por exemplo), Rita ainda incluiu duas razoáveis inéditas: “Meio Fio” e “Coração Babão”. O registro de “Panis et Circenses” (parceria tropicalista de Gil e Caetano, gravada também por Marisa Monte no seu “Barulhinho Bom”) é sempre bem vinda. Da safra mais recente, não poderiam ficar de fora “Amor e Sexo” (da trilha da novela “Celebridade”) e “Tudo Vira Bosta” (que faz parte de “Senhora do Destino”). Há ainda a participação especial de Pitty na ótima “Esse Tal de Roque Enrow” e de Zélia Duncan na mediana “Pagu”, canção que cresce consideravelmente no registro de Maria Rita. Disponível também em DVD!

·                     Já à venda o novo CD de Ivan Lins intitulado “Cantando Histórias”. O disco, embora com caráter revisionista da obra do grande compositor, contém duas canções inéditas (o samba “Porta Entreaberta” é ótimo!). A voz de Ivan já não é a mesma de outrora, mas o trabalho, gravado ao vivo, vale a pena sobretudo porque registra com emoção alguns de seus maiores sucessos. Há participações afetuosas de Simone, Jorge Vercilo e Zizi Possi.

·                     Em mais uma iniciativa independente, a lendária Emilinha Borba está lançando o CD “Na Banca da Folia”. No repertório, marchas carnavalescas gravadas por outros artistas nos últimos dez anos, além da inédita “Mama, Neném”, composta especialmente para a folia de 2005 que não tarda a chegar…

 

Quaisquer críticas e/ou sugestões serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail:rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais