Não Pago: 40 mil pessoas teriam participado de ato

0
Movimento Não Pago fala na participação de 40 mil pessoas (Foto: Portal Infonet)

A manifestação “Acorda Aracaju” reuniu segundo estimativas do Movimento Não Pago, aproximadamente 40 mil pessoas. O ato foi considerado positivo pelos organizadores e o único ponto avaliado como negativo foi a repulsa de parte dos manifestantes a partidos políticos presentes nas ruas. Um novo ato já está marcado para a próxima terça-feira, 25, a partir das 16h, na Praça Fausto Cardoso.

Para o integrante do Não Pago, Cleidson Carlos, o “Acorda Aracaju” ficou para a história de Aracaju. “Avaliamos como um ponto positivo porque a população colocou sua indignação e foi às ruas levantar sua bandeira. Esperávamos que as pessoas seguissem em conjunto, mas a divisão aconteceu naturalmente, até porque fomos divulgando as etapas do percurso somente na hora do ato”, afirma.

O protesto dos manifestantes contra a presença dos partidos políticos é considerado contraditório pelo movimento. “Se estamos levantando a bandeira da democracia e da liberdade de expressão, não podemos proibir a presença dos partidos políticos. Uma coisa é ser apartidário, não ser filiado a nenhum partido, mas respeitar sua posição. Outra coisa é não aceitar a presença deles. O que aconteceu foi um antipartidarismo”, avalia Cleidson Carlos ao destacar que alguns partidos da frente de esquerda participaram da construção do processo de mobilização contra o aumento de passagem promovido pelo Não Pago.

O ato marcado para o próximo dia 25 tem como ponto principal a luta por melhores condições no transporte coletivo. “Nós entendemos que a redução dos 10 centavos da tarifa é uma conquista da população, mas isso não atende aos anseios e reivindicações do movimento Não Pago. Na verdade, foi mais uma forma que a prefeitura encontrou para fazer com que a população não se mobilize”, explica Cleidson Carlos.

O movimento também aproveitará o momento para pressionar o Poder Judiciário para que tome posição referente à ação popular impetrada pelo Movimento Não Pago envolvendo um documento apontando irregularidades na planilha de custos pelas empresas.

PM

A Polícia Militar considerou a manifestação pacífica. O ato, dividido inicialmente em quatro grupos, transformou-se em dois que seguiram pela Avenida Beira-Mar e Adélia Franco, respectivamente, até a região do Distrito Industrial de Aracaju. Os números da PM, segundo o Major Paulo Paiva, apontam a presença de pelo menos 16 mil pessoas.

Por Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais