Nilton Vieira Lima

0

Breve histórico
Nilton Vieira Lima, d. n. 26.05.1952. Formado UFS, formado 1975, OAB/SE 677, Curso de Especialização em Direito Público, UFS, dezenas de ações em defesa da cidadania, projetos de lei, e de diversos regimentos, como do CONDURB de Aracaju/SE e outras instituições. Presidente da Comissão de Seleção e Prerrogativas; Presidente da Comissão do Meio Ambiente; Conselheiro do CONDURB – Conselho de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente do Município de Aracaju, advogo há quase 33 anos em Sergipe, e incursões na Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Tocantins, Alagoas e Brasília. Na entidade ajudei na reestruturação da OAB em 1980, idealizando e formando um grupo de colegas denominado ‘ADVOGADOS INDEPENDENTES’, lutando pelo pleno fortalecimento da instituição desde 1976, e, de igual modo, em favor da independência do Poder Judiciário, lutando contra a reforma imposta por Geisel no famoso ‘pacote de abril de 1977’, imprensando as decisões judiciais ao gosto do executivo.”
 

Motivos para concorrer à vaga

“O exercício da advocacia assim como o da magistratura, exige de seus membros entre outras qualidades, o notável saber jurídico, a seriedade e no caso dos magistrados, a imparcialidade.

Mas, exige-se de ambos o descompromisso com o medo, arbítrio, prepotência e simulação, em compasso com a necessidade fundamental de agir lealmente com o direito e a justiça, amparando-se nas regras existentes e, quando não escritas, no bom senso, na lógica e nos melhores costumes em vigor.

As eleições para escolha da vaga de desembargador que cabe aos advogados sergipanos, decorrente da aposentadoria de Manoel Pascoal Nabuco D’Ávila, trazem a nós advogados sergipanos, mais uma vez, o direito de escolha direta de uma lista sextupla para ser escolhido três nomes pelo TJ e um nome pelo governador.

Tenho uma boa experiência como advogado e diversas idéias, projetos e propostas para levar ao Poder Judiciário sergipano, buscando oxigenar este poder que tanto serve ao nosso povo, melhorando-o na sua missão constitucional.

Me considero e os que me conhecem como cidadão, como advogado e até como político sabem, que tenho as qualidades exigidas pela Constituição Federal e Estadual para assumir tão honroso cargo, tenho criatividade, disposição para lutar por meus ideais de JUSTIÇA e, por isto, acredito que os caros colegas e os doutos desembargadores sufragarão meu nome para a nomeação a ser procedida pelo senhor governador.”

 

Perspectivas e projetos caso seja eleito

“Tenho algumas propostas, de todos os matizes, umas simples, porém práticas e de grande utilidade no dia a dia dos usuários do Poder Judiciário, outras que dependem da aprovação de leis e até de emendas constitucionais, que pretendo encaminhar aos senhores deputados estaduais e deputados federais e senadores, e outras que, com aprovação de resolução pelo tribunal, trarão grandes resultados em favor do próprio judiciário, dos advogados e de todos os cidadãos, como por exemplo: Assim como existem as “Câmaras Cíveis Reunidas”, pretendo levar a proposta de Criar uma Câmara de Conciliação;Tentarei convencer os demais desembargadores que a sociedade necessita de um Judiciário com atuação integral na primeira instância, com duas jornadas para aumentar o atendimento a população, como por exemplo um expediente das 07 às 13 e outro das 13 às 19 horas, com mais juízes e servidores; (…) Estacionamentos nos fóruns integrados; Criação de juizados especiais da fazenda pública; entre outras.”

 

Retorne para a Matéria

Comentários