O debate que não houve

0

Marcado para as 15 horas da última sexta-feira, o debate entre o governador Albano Franco e o candidato do PFL, João Alves Filho, como era de se esperar, terminou não acontecendo. O que ensejou ao governador Albano Franco abrir a “caixa preta” do seu Governo, com dezenas de documentos que rebatem as principais acusações do candidato pefelista. O governador mostrava-se particularmente magoado com as acusações de que “vivemos um desgoverno”, por isso, embora lamentando a ausência de João Alves, partiu para o ataque. Disse estar falando, pela primeira vez em todo este período de Governo, da lastimável situação em que encontrou o Governo do Estado. Principalmente por conta das Letras Estaduais, que totalizavam R$ 850 milhões e que, se não fossem roladas a curto prazo, inviabilizariam o próprio Estado. “O Governo de Alagoas tomou este caminho de não honrar o resgate das letras e todos sabem o que aconteceu com o governador Divaldo Suruagy”, disse ele. Lá a situação ficou tão complicada que Suruagy teve que renunciar antes das eleições de 1968. Por Ivan Valença

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais