OAB e CFP denunciam más condições de atendimento em hospitais psiquiátricos

0

Uma ação conjunta de profissionais da Ordem dos Advogados do Brasil e do Conselho Federal de Psicologia, que foi realizada em 16 Estados, entre eles Sergipe, constatou supostas “péssimas condições de atendimento clínico” a portadores de doenças mentais em dois hospitais particulares sergipanos. As duas instituições, que recebem dinheiro do Sistema Único de Saúde, passaram pela blitz na última quinta-feira, dia 22. O relatório divulgado pelos profissionais que participaram da inspeção destacou a presença de internos nus nas alas do Hospital Santa Maria. Segundo a OAB, dos 200 leitos da unidade, 160 são mantidos com dinheiro do SUS. “Havia gente caída pelo chão e no frio, descalça. Um local de muita pobreza”. Já no Hospital São Marcelo, também privado, os profissionais da OAB e CFP alegaram que foram barrados na porta pelos diretores. A blitz teria chegado na hora do almoço dos internos. O hospital tem 400 leitos, sendo 171 reservados para pacientes da rede pública. Os fiscais não tiveram acesso à ala feminina do Hospital São Marcelo. Segundo o relatório, os administradores da instituição “não se entendiam entre si, ficaram nervosos e a impressão do local é que fosse uma cadeia: tudo com cadeado e separado com portão de zinco. Até a horta. O lugar era sujo e mal ventilado. Não deixaram conversar com os internos”. O relatório conjunto, da OAB e CFP, não apresenta denúncias contra a instituição. No entanto, revela queixas como a de que o instituto não recebe recursos do SUS e, por isso, a direção alega falta de medicamentos. Também foi constatada a inexistência de plantão de médicos e enfermeiros nos finais de semana. Já o Ministério da Saúde, após tomar conhecimento do resultado da inspeção realizada nos 16 Estados pela OAB e pelo CFP, divulgou nota oficial afirmando que os hospitais psiquiátricos que não cumprirem os requisitos mínimos de atendimento a portadores de doenças mentais serão descredenciados do SUS. Mais notícias da área no canal SAÚDE SERGIPE.

Comentários