Óleo: pescadores continuam acumulando prejuízos e sem amparo federal

0
Barcos parados e equipamentos danificados tiram o sono dos pescadores (Foto: Portal Infonet)

Dados da Secretaria de Estado da Agricultura de Sergipe (Seagri) identificou, em Sergipe, mais de 10 mil pescadores afetados pela substância oleosa que continua aparecendo no litoral nordestino, contabilizando um prejuízo superior a R$ 50 mil pela perda de equipamentos utilizados na atividade pesqueira no Estado. O levantamento foi realizado junto às Federações, Colônias de Pesca e Associações e ainda não foi concluído. Os dados estão restritos às comunidades das regiões dos rios Vaza Barris e Sergipe e os profissionais que sobrevivem da atividade ainda não receberam a assistência prometida pelo Governo Federal.

Como o levantamento ainda não foi concluído, o número de pescadores atingidos ainda não corresponde à realidade. E nesse primeiro levantamento ainda não estão incluídas as marisqueiras, que continuam sem amparo para receber o prometido seguro-defeso. Apesar de não concluído, o levantamento revela o impacto do óleo sobre a atividade pesqueira, afetando diretamente estes profissionais desde que as manchas de óleo começaram a surgir no litoral do estado de Sergipe.

De acordo com informações da assessoria de imprensa, a equipe da Seagri iniciou uma agenda de visitas técnicas às comunidades afetadas nas colônias de pescadores dos estuários dos rios Vaza Barris e Sergipe. Essas visitas foram realizadas entre os dias 25 e 30 de outubro. Na oportunidade, foram identificados 10.031 pescadores afetados em nove colônias distintas. Um prejuízo aproximado R$ 50 mil em apetrechos de pesca, que foram danificados com o contato com a substância oleosa.

De acordo com a assessoria de imprensa, esse primeiro levantamento já foi encaminhado para o Ministério da Agricultura para consubstanciar o pedido de ajuda federal feito pela Seagri. A equipe continua realizando o levantamento nas demais colônias de pesca dos municípios afetados. Novo relatório atualizado deverá ser concluído na próxima semana, incluindo informações sobre os estuários dos rios São Francisco e Real. Nesse novo documento, as marisqueiras deverão ser incluídas. De acordo com a assessoria de imprensa, as marisqueiras também são alvo da preocupação do governo estadual.

Procurado pelo Portal Infonet, o senador Alessandro Vieira confirmou que ainda não há informações sobre a questão do seguro-defeso, mas assegurou que brevemente o Governo Federal anunciará medida para beneficiar a todos aqueles profissionais afetados.

por Cassia Santana

Comentários