Onda de arrombamentos em lojas do Centro de Aracaju preocupa Acese

0
Estiveram na reunião, o comandante do Policiamento da Capital, coronel José Moura Neto, a coordenadora Operacional da Copcal, Nalile Castro, e o comandante da GM, subinspetor Fernando Mendonça (Foto: Acese)

Com o número de lojas arrombadas no Centro Comercial de Aracaju chegando a 20 nos primeiros dois meses deste ano, a Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese) se reuniu com os comandantes da Guarda Municipal e do Policiamento da Capital na manhã desta terça-feira, 23, com a finalidade de solicitar mais segurança.

De acordo com a Acese, até o momento, nenhum acordo foi feito com os comandantes, porém, as forças de segurança reconheceram a importância da solicitação apresentada pela associação e prometeram aumentar o policiamento no Centro Comercial de Aracaju.

Para o presidente da Acese, Marco Pinheiro, o problema é complexo e demanda a ajuda de todos. “Estamos unindo esforços e discutindo juntos quais caminhos seguir. É uma questão que não se limita somente a prender os bandidos. Há muitos prédios que estão abandonados que servem de moradia para meliantes. Precisamos ver quais ações podemos fazer juntos para melhorar a segurança na região”, explica.

“A Polícia e a Guarda têm realizado o seu trabalho, mas, mesmo assim, não intimida a ação dos meliantes no Centro. É uma situação triste pois o prejuízo provocado vai além do financeiro – é estrutural e psicológico, por ver a sua loja bagunçada, depredada. Tudo isso traz um transtorno muito grande”, completa o presidente.

O comandante do Policiamento Militar da Capital, Coronel José Moura Neto, enfatizou o problema das casas abandonadas na região que, segundo ele, funcionam como verdadeiros “escritórios do crime”. Ele pede o apoio dos proprietários para que esses imóveis sejam desocupados. “É importante que os donos se envolvam também com essa questão e tomem de volta o seu patrimônio. Temos que afastar esses meliantes para que o Centro Comercial tenha uma convivência mais tranquila”, defende.

O comandante da Guarda Municipal, Subinspetor Fernando Mendonça, afirmou que a Guarda Municipal tem intensificado as suas ações no Centro de Aracaju e destacou que, diante dos arrombamentos, essa ação será intensificada. “Vamos melhorar o serviço que está sendo prestado. Vamos buscar o que tiver de tecnologia para que a gente possa atender mais rápido essa demanda”.

A Acese promete levar a demanda para o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, e o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas. Por enquanto, nenhuma nova reunião foi marcada com estes órgãos, mas a associação destaca que o Centro Comercial de Aracaju precisa de políticas públicas que viabilizem e garantam mais segurança para o local.

Por Isabella Vieira e Verlane Estácio com informações da Acese

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais