Onda de assaltos assusta comerciantes do Eduardo Gomes

0

Avenida é alvo de suspeitos (Fotos: Portal Infonet)

Dona de loja de roupas solicita rondas

Os comerciantes do conjunto Eduardo Gomes, situado no município de São Cristóvão estão assustados com o grande índice de assaltos que estão ocorrendo na localidade. Eles relatam falta de policiamento e alegam que os suspeitos têm facilidade em praticar os crimes.

Uma vendedora, que preferiu não se identificar, conta que a loja onde trabalha foi assaltada na última sexta-feira, 29. O estabelecimento está localizado na avenida Marginal, que, segundo a trabalhadora, é um dos alvos dos suspeitos.  “Eles não se intimidam com as câmeras de vigilância do estabelecimento”, acrescenta. A vendedora ainda comenta que, apesar de haver um posto da polícia militar perto, o cenário de criminalidade permanece.

“Os assaltantes vêm até de bicicleta e pedem dinheiro, a renda do local e nossos celulares. Já fomos até o posto policial para solicitar rondas, mas é raro ver viaturas de polícia por aqui, pois elas estão sempre paradas. Nós estamos trabalhando com medo”, revela a vendedora.

A proprietária de uma loja de roupas, Maria Aparecida dos Santos, conta que seu estabelecimento também já foi alvo de suspeitos.  “A avenida Marginal é a mais movimentada daqui, e também a mais perigosa. Espero que façam as rondas, pois os casos de assalto aqui estão demais”, comenta.

A equipe do Portal Infonet esteve no posto policial localizado nas imediações da Marginal, porém a informação que recebemos é que apenas a equipe do Posto de Atendimento de Cidadão (PAC) do Rosa Elze poderia prestar esclarecimentos.  Também tentamos entrar em contato com funcionários desta localidade, mas não encontramos ninguém. Na porta havia apenas um aviso com o horário de funcionamento e com o contato das viaturas, e na parede, uma pichação com a seguinte frase: “Para que esse box se mantem ele fechado??” (sic).

PAC estava fechado

Ainda eram 11 horas quando nossa equipe esteve no local [o PAC fecha Às 12h para horário de almoço]

Ligamos para a viatura responsável pelo patrulhamento no Eduardo Gomes, mas não obtivemos êxito. Entramos em contato também com o telefone da viatura do supervisor da área e a informação do sargento Elvis, membro da equipe A do PAC do Eduardo Gomes, é que existem rondas na localidade. Ele afirmou desconhecer o alto índice de assaltos e disse ainda que são realizadas, em média, duas prisões por dia.

Por Monique Garcez

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais