Ônibus opera sem cobrador e gera transtornos na Zona Sul

0

Ônibus não tem estrutura para operar com os dois funcionários (Foto: Portal Infonet)

Passageiros que utilizam diariamente a linha Circular Shoppings 2 reclamam que os ônibus estão circulando sem cobrador, o que tem resultado na demora no trajeto realizado. Isto porque o motorista do veículo também está acumulando as duas funções: além de conduzir o veículo, ele tem que receber a tarifa dos passageiros, liberar a passagem dos estudantes na catraca e passar o troco. A linha tem um alto fluxo de passageiros porque passa por pontos estratégicos da capital: os dois shoppings, a Universidade Tiradentes (Unit) e a Orla de Atalaia.

O estudante João Luca Mura, que mora na Atalaia Velha e utiliza o ônibus da linha três vezes por semana, diz que o percurso antes feito em 25 minutos chega a durar quase 40 minutos. A mudança, segundo ele, ocorreu há cerca de quatro meses. “Às vezes o ponto de ônibus está cheio e o motorista tem que esperar todos passarem na catraca. O ônibus nem tem assento na parte da frente, o que poderia amenizar a situação”, reclama o rapaz.

João diz que os passageiros sempre reclamam e que até o motorista também reconhece que a medida não é das melhores. “Eles dizem que a carga horária aumenta e que a viagem realmente atrasa”, explica. O estudante ressalta que por não ter alternativa, pois as outras linhas demoram muito mais, o jeito é chegar mais cedo ao ponto de ônibus.

Estudante diz que percurso aumentou de 25 para 40 minutos com a mudança

A assessoria de comunicação do Sindicato das Empresas de Transporte de Aracaju (Setransp) explicou que o modelo de ônibus como o utilizado na linha, apelidado de ‘micrão’ por ser maior que o microônibus e menor que o ônibus, não é adaptado para circular com o motorista e com o cobrador. O sistema de bilhetagem eletrônica implantado pelo órgão é uma maneira de, com essa ausência do cobrador, haver a redução do tempo de passagem dos passageiros pela catraca.

O Setransp negou que esse seria um sinal da extinção da figura do cobrador de ônibus diante da instalação da bilhetagem eletrônica e que todos os empregos continuam garantidos.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Aracaju (Sintra), Miguel Belarmino da Paixão, explicou que o sindicato já entrou em contato com a Viação Halley, empresa que opera a linha com 12 veículos através da Viação Modelo, para abordar a questão, que já estaria sendo negociada.

“A empresa alega que os ônibus estão rodando sem cobrador porque o fluxo de passageiros é pequeno, mas em horários de pico, os carros andam cheios, por isso entramos em contato. Eles estão estudando a possibilidade de colocar o cobrador nesses horários de maior movimento de passageiros”, informa.

A reportagem do Portal Infonet entrou em contato com a empresa na manhã desta quarta-feira, 25, mas a informação é que a única pessoa habilitada a falar sobre o caso, o gerente operacional, só retornaria à tarde. Em novo contato nesta tarde, o diretor não foi encontrado para comentar o assunto.

Por Bruno Antunes e Diógenes de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais