Operação Placebo: duas mulheres estão foragidas

0
Fotos foram divulgadas pelo MP/SE

O Ministério Público do Estado de Sergipe (MP/SE) divulgou as imagens de duas empresárias, identificadas como Maria Edenilce Monteiro dos Santos e Silvia Santos Borges, que são consideradas foragidas. Elas são suspeitas de participação em uma organização criminosa especializada em corrupção de agentes públicos, lavagem de bens e falsificação de documentos. O esquema foi desarticulado nesta terça-feira, 17, durante a Operação Placebo, de iniciativa do Ministério Público de Alagoas.

A informação do MP/SE é de que as mulheres eram proprietárias de empresas do ramo de distribuição de medicamentos, em Sergipe e Alagoas. Maria Edenilce Monteiro dos Santos, é filha de Arnaldo Monteiro (preso durante a operação) e mãe de Silvia Santos Borges, que é a segunda foragida. Quem tiver informações sobre o paradeiro das mulheres deve telefonar o número 181 (Disque Denúncia). A identidade dos denunciantes será mantida em sigilo.

Operação

As investigações foram iniciadas pelo Grupo de Atuação Especial em Sonegação Fiscal e Lavagem de Bens (Gaesf) do MP-AL. Foi descoberto que um esquema de sonegação fiscal em Alagoas, Sergipe e Bahia. Estima-se um prejuízo de R$ 197 milhões – valor atualizado até junho de 2018, entre tributos sonegados, multas, juros e correção monetária.

Ao todo, nos três estados, foram dez mandados de prisão e 18 de busca e apreensão sendo cumpridos em Alagoas, Bahia e Sergipe. Em Sergipe, foram alvos da operação os empresários Antônio Monteiro dos Santos, Arnaldo Monteiro dos Santos, Vanessa Veras Ribeiro e Jenisson Paulino da Silva Ribeiro. Também houve o cumprimento de mandados de busca e apreensão em galpões de medicamentos localizados na região do Marcos Freire II, em Nossa Senhora do Socorro.

por Verlane Estácio

Comentários