Operação prende quadrilha que sonegava impostos

0

Computadores e documentos foram apreendidos
Desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira, 30, que policiais civis do Departamento Especializado em Crimes contra a Ordem Tributária e a Administração Pública (Deotap) desenvolvem a operação João de Barro. Através do cumprimento de mandados de prisão e busca e apreensão, integrantes da quadrilha que promoveram a sonegação de impostos estão sendo localizados e presos por policiais do Departamento Especializado da Polícia Civil.

Embasada em auditorias realizadas pelo Fisco estadual, a operação João de Barro tem o objetivo de desmantelar a quadrilha que, utilizando mecanismos como empresas fantasmas, sócios laranjas  e notas fiscais inidôneas, simulava transações comerciais com Construtoras sergipanas, com a finalidade de sonegar impostos, especialmente o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Até agora três pessoas foram detidas
O prejuízo calculado pelo Fisco Estadual, com base nos procedimentos administrativos, chega a R$ 50 milhões. De acordo com a polícia, a investigação tem a finalidade de identificar os reais beneficiários desse esquema criminoso, apurando a prática de crimes de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e estelionato, além do delito fiscal.

Até o momento foram efetuadas duas prisões e apreendidos diversos computadores e documentos. Mais detalhes serão repassados depois da finalização dos trabalhos da polícia.

Comentários