Organização de rave diz que Samu não prestou socorro

0
Carlos morreu após passar mal durante a madrugada do dia 16 (Foto: Reprodução/Facebook)

A organização da rave que ocorreu no último sábado, 15, informou que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) se recusou a prestar socorro a Carlos Henrique Santana Oliveira, 32. Carlos morreu após passar mal durante a madrugada do domingo, 16, em uma residência localizada em Areia Branca, no povoado do Mosqueiro, onde a festa estava acontecendo.

A assessoria de marketing desmentiu a informação de que as equipes de saúde do local não teriam prestado socorro à vítima e disse que o atendimento ocorreu no local por volta das 1h30 da madrugada do domingo, 16. Porém, após constatar que o caso era complexo, solicitaram o atendimento do Samu porque a ambulância que estava no evento estava em outra ocorrência, mas a Samu teria negado a prestação de socorro. Com a negativa, Carlos Henrique teria sido levado em um carro de passeio para a unidade do Augusto Franco.

A assessoria ainda desmente a alegação de que teriam sido distribuídas drogas na festa pela própria organização do evento. A equipe não tem informações de quantas pessoas estiveram no local, mas disse que o público esperado era de 1000. A equipe também informou que recebeu algumas licenças para a realização da festa, mas não soube precisar de quais órgãos elas teriam sido emitidas.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) está apurando o caso para entender o que levou Carlos Henrique à morte. O trabalho do DHPP é feito em conjunto com o Departamento de Narcóticos da Polícia Civil (Denarc) já que as primeiras informações que chegaram à polícia é de que o óbito teria sido causado pelo consumo de droga sintética.

O Portal Infonet entrou em contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Saúde que se responsabilizou por apurar as informações relativas a falta de assistência do Samu. Nossa equipe de reportagem permanece à disposição através do e-mail jornalismo@infonet.com.br ou do telefone (79) 2106-8000.

Por Jéssica França

Comentários