Pais aconselham pesquisar antes de comprar materiais escolares

0

No próximo dia 21 iniciam as aulas em grande parte das escolas particulares, até lá os pais se revezam no corre-corre das compras de materiais escolares. Neste período de 30 a 40% do orçamento será gasto no comércio, principalmente nas livrarias. Um índice considerado alto pela Associação de Pais de Alunos do Estado de Sergipe, já que em anos anteriores era consumido apenas 10%.

 

Para a maioria dos pais a saída é pesquisar. “Se não caminhar acaba ficando muito caro, é importante fazer pesquisa”, afirma José Carlos, que tem um filho de 7 anos que está na 3ª série. Hoje foi o primeiro dia de ida às compras de Carlos e ele estima que vá gastar mais de R$ 150 com materiais e livros.

 

Carmélia Freire: dois filhos e R$ 1000 em compras escolares
A mesmo dica é dada por Carmélia Freire: “a pesquisa requer tempo, mas a gente sempre sai lucrando”. Ela tem dois filhos e estima que em média deva gastar R$ 1.000 nas compras deste ano.

 

A dona de casa Rejane Aragão também resolveu ir às compras hoje e na sua lista está o fardamento das duas filhas, livros e materiais. E mesmo com pesquisa ela afirma que está tudo caro e ao todo deve gastar R$ 800 em compras, que serão todas parceladas no cartão, saída encontrada por muita gente para não estourar o orçamento de uma vez.

 

Pedidos abusivos

 

José Carlos: “pesquisar é importante”
“Pior é que no papel que a escola entrega com a lista vem dizendo que não aceita material incompleto. Caso a gente entregue faltando algum item eles não recebem o aluno”, ressalta Rejane. Ela destaca que a escola de suas filhas exige materiais que dificilmente será utilizado por elas, como 15 lápis e 12 borrachas.

 

Visando coibir pedidos abusivos nas listas de materiais o Procon/SE determinou a proibição de 22 itens. Segundo o Procon, normalmente essas listas são onerosas e não observam a legislação vigente.

 

As escolas só devem exigir dos pais o material que for de uso exclusivo do aluno. No entanto, na lista de Rejane sete itens não poderiam estar sendo pedidos. Ela e os demais pais, casos se sintam lesados, devem denunciar a escola ao Procon.

 

Entre os itens proibidos estão: Papel higiênico, Fitas adesivas largas, finas e dupla face, Estêncil, Material de reprografia, Verniz, Álcool, Algodão e Rolo de papel toalha. Confira a lista completa.

Comentários