Papiloscopistas fazem manifesto e anunciam paralisação de dois dias

0
Papiloscopistas demonstram insatisfação e deliberam paralisação. (Foto: Portal Infonet)

Insatisfeitos com a utilização de outra categoria na execução de suas atividades, os papiloscopistas de carreira lotados na Coordenadoria Geral de Perícias (Cogerp) anunciaram uma paralisação de dois dias. O anúncio se deu na manhã desta terça-feira, 24, durante manifestação em frente ao Instituto de Identificação de Sergipe.

O presidente da Associação Sergipana de Papiloscopistas de Carreira (Aspac), Washington Barreto, afirma que a decisão de paralisação dos serviços foi tomada em conjunto pela categoria. “Após assembleia ocorrida no dia 18 de setembro, a categoria, insatisfeita com desmandos na Cogerp, resolveu paralisar as atividades por 48h, o que vai ser prejudicial para alguns serviços. Nossa intenção é de atrair a atenção da SSP, na pessoa do secretário João Eloy, para que ele faça cumprir a Lei Complementar 314/2018”, salienta Washington.

Presidente da ASPAC, Washington Barreto. (Foto: Portal Infonet)

Conforme Barreto, a lei citada trata da exclusividade dos trabalhos papiloscópicos. “Essa lei prenuncia a exclusividade, mas nós tomamos conhecimento de outra categoria profissional realizando laudos periciais. É uma afronta injustificada daprerrogativa do papiloscopista. A lei diz que a atribuição é exclusiva, então como é que outra categoria vem a realizá-la?”, questiona o presidente.

Segundo ele, a associação tem tentado chamar a atenção do assunto junto à Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE). “Foi comunicado via ofício ao secretário de Segurança Pública, mas não houve nenhuma explicação ou chamamento do feito a ordem. Não tivemos outra opção, senão fazer essa paralisação, que culminará em atos aqui e amanhã no IML”, alerta.

Durante o período de paralisação, os papiloscopistas trabalharão apenas com outras atribuições internas e administrativas e serviços como os de identificação de presos em flagrante, de presos oriundos de delegacias do interior durante transferência para o sistema prisional e de cadáveres, junto ao IML, poderão ser prejudicados.

SSP

A Secretaria de Segurança Pública emitiu uma nota informando que as pautas apresentadas pela categoria foram encaminhadas ao secretário João Eloy e esclareceu o serviço de emissão de carteiras de identidade não será comprometido.

“Após concluída a análise das motivações, o secretário se manifestará sobre o que será possível ou não atender quanto às reivindicações apresentadas. No tocante à prestação dos serviços do Instituto de Identificação, a SSP comunica que a emissão de carteira de identidade não terá seus serviços comprometidos.”, complementou a nota.

por Daniel Rezende

Comentários