Parada LGBT atrai 70 mil pessoas à Orla

0

8ª Parada do Orgulho LGBT contou com a participação de cerca de 70 mil pessoas (Foto: Arquivo Infonet)
A Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bisexuais e Transgêneros) atraiu cerca de 70 mil pessoas na tarde do último domingo, 30. Sob o tema “Sexualidade e gêneros não distinguem a personalidade humana”, a oitava edição do evento, de acordo com presidente da Associação de Defesa Homossexual de Sergipe (Adhons), Marcelo Lima, consolida a iniciativa como uma legítima manifestação política.

“Nós presenciamos um grande evento. Todo ano o número de pessoas aumenta, por isso podemos dizer que a sociedade está começando a entender que fazemos parte da sociedade”, diz Marcelo. A Parada foi considerada por ele como pacífica, pois nenhuma ocorrência atípica foi registrada durante a passagem dos trios pela Orla.

Marcelo acrescenta que desde a quarta edição a imagem de que o evento é apenas uma festa foi perdendo esse estigma. “As pessoas já têm a idéia de que temos um cunho político. A partir do momento que você sai às ruas sem medo, mostra que sua sexualidade não é um peso”, afirma.

Marcelo situa a Parada sergipana como uma das maiores do país
Essa característica, ele acrescenta, é traduzida pelo público que prestigia a manifestação. “A família sergipana já adere à Parada, que começa a adentrar e unir todas as camadas sociais”, reforça.

Marcelo avisa que as ações para o próximo evento, em 2010, já começam a ser pensadas. “Nosso principal objetivo é levantar esse debate. Este ano conseguimos um espaço na Assembléia Legislativa, próximo ano queremos dar passos maiores nesse sentido”, diz.

Diagnóstico de HIV

Durante a Parada, equipes das secretarias da Saúde do Estado e de alguns municípios realizaram atividades dentro do projeto Fique Sabendo, quando foram ofertados testes rápidos para a detecção de HIV entre os participantes. A estrutura contou com cinco salas de atendimento e uma Unidade Móvel para a realização dos testes. Segundo o Dr. Almir Santana, coordenador de DST’s da Secretaria de Estado da Saúde (SES), foram realizados 109 procedimentos.

Almir Santana diz que teste rápido para detecção do HIV teve fila de espera

O resultado saía entre 15 a 20 minutos. Um caso positivo foi detectado. “Essa pessoa será encaminhada ao Centro de Especialidades Médicas (Cemar), do bairro Siqueira Campos, para a realização de procedimentos complementares e submetida ao acompanhamento por uma equipe multidisciplinar”, explica.

Ainda de acordo com ele, a ação foi considerada como um sucesso já que a divulgação quase não foi necessária, sendo feita no boca-a-boca. “Nós tivemos até fila de espera para os exames”, conta.

Além dessas ações pontuais, o exame pode ser realizado gratuitamente em qualquer um dos Centros de Testagem e Aconselhamento, distribuídos nas cidades de Estãncia, Itabaiana, Propriá, Lagarto, Nossa Senhora do Socorro e Canindé. Em Aracaju o teste pode ser feito no Cemar do bairro Siqueira Campos. O resultado sai em até 20 dias.

Casos em Sergipe

Até o momento, pouco mais de 70 casos já foram registrados no Estado. Desde 1987, foram notificados 2.106. Desses, 667 são mulheres e 1.393 homens.

Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros

Apesar de ser sido conhecida por muito tempo pela sigla GLBT, a nomenclatura a ser usada por movimentos sociais e pelo governo foi mudada para LGBT em 7 de junho do ano passado. A modificação ocorreu durante a 1º Conferência Nacional de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais, ocorrida no período de 5 a 8 de junho de 2008.  O novo padrão segue igual ao usado em todo o mundo e, além disso, visa principalmente dar mais destaque às reivindicações das mulheres lésbicas.

*Esta reportagem foi alterada às 13h52 de 1º/09/2009 para o acréscimo de informações.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais