Pedroso diz que estão usando a PM como projeto político

0

Pedroso negou as denúncias Foto: Arquivo Portal Infonet
Na manhã desta quarta-feira, 3, o comandante da Polícia Militar, coronel Carlos Pedroso, negou as denúncias de superfaturamento na compra de protetor solar para a corporação. De acordo com o comandante, as críticas que estão sendo veiculadas por alguns setores da imprensa sergipana fazem parte de um projeto político partidário para atingir a Polícia Militar e o Governo do Estado.

“Primeiro foi a questão do R2, depois camarão e agora o protetor solar. Isso é uma mentira, a compra foi feita dentro da legalidade de forma clara através do pregão eletrônico do Compras Net que toda a sociedade sergipana tem conhecimento.  Essa onda de denúncias são mentiras que tentam manchar a imagem da corporação”, diz Pedroso, salientando que a compra do protetor solar foi um benefício para os policiais.

“Esse pregão foi realizado em novembro do ano passado para beneficiar os policiais que ficam expostos às intempéries, principalmente para o batalhão da companhia turística que fica muito exposto. Foram comprados 54 litros de fator 30, custando cada R$80, o que deu cerca de R$4700. Com essa compra economizamos bastante”, explica o comandante da PM.

Pedroso esclarece que o protetor solar foi distribuído através de 27 unidades da corporação e que pretende fazer uma nova aquisição do produto porque o estoque acabou. “Se alguma denúncia for feita nós temos mecanismos para fiscalizar porque as compras são feitas com o crivo da Secretaria da Fazenda e de outros órgãos do Estado”, salienta Pedroso.

A equipe do Portal Infonet conversou com policiais da Companhia de Policiamento Turístico (CPtur) que confirmaram que receberam o protetor solar.

Por Kátia Susanna

Comentários