Pesquisa revela déficit nutricional em filhos de agricultores sergipanos

0

Mandioca será um dos alimentos trabalhados para combater este números
Os alunos de escolas estaduais do Assentamento Santana dos Frades, no município de Pacatuba, em Sergipe, possuem grave déficit nutricional. Este foi um dos resultados da pesquisa realizada pela Embrapa Tabuleiros Costeiros, em parceria com o Núcleo de Nutrição da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e Secretaria do Estado da Educação, onde avaliou o estado nutricional de alunos de escolas estaduais daquela localização.

Na pesquisa, foram avaliados 74 alunos de 4 a 18 anos e observou-se que 64% deles apresentaram Índice de Massa Corporal (IMC) abaixo da média esperada para a idade. Em relação à estatura, 10% das crianças e 15,9% dos adolescentes estão com baixa estatura. Apenas dois deles estão com excesso de peso.

As crianças e adolescentes acompanhados pela pesquisa são filhos de agricultores assentados que produzem os próprios alimentos e vivem da comercialização de coco, de tarrafas e do artesanato feito da fibra de taboa e do ouricuri. O baixo poder aquisitivo, aliado à baixa produtividade agrícola, contribuem para o estado de desnutrição observado.

Segundo o pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju-SE), Fernando Curado, “além de caracterizar o estado nutricional dos estudantes, o projeto favorecerá a introdução de alimentos com maiores teores de micronutrientes nas escolas e nos cultivos dos agricultores familiares”.

Para isso, estão sendo instaladas Unidades de Demonstração compostas por cultivos de abóbora, batata-doce, feijão, feijão caupi, mandioca e milho com maiores teores de micronutrientes e obtidos pelo melhoramento convencional (cruzamento de variedades da mesma espécie). Essas Unidades tem o objetivo de servir de ponto de apoio para a disseminação das  novas cultivares junto aos produtores rurais cadastrados nas escolas.

Maranhão

A mesma pesquisa será feita no Vale do Jequitinhonha (MG) e na cidade de São Luís (MA). Esse trabalho faz parte de um projeto maior que visa o desenvolvimento e a disseminação de cultivares de alimentos básicos com maiores teores de ferro, zinco e betacaroteno (micronutrientes). No Brasil, o projeto é conhecido como BioFort. Ele é coordenado pela Embrapa Agroindústria de Alimentos (Rio de Janeiro-RJ) e envolve uma rede de pesquisadores no Brasil e no exterior, tendo como principais apoiadores os programas HarvestPlus e AgroSalud. 

Menor índice

De acordo com a Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (IBGE, 2006), Sergipe foi considerado o Estado com o menor índice de insegurança alimentar grave no Nordeste. Porém, dados obtidos pelo Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN, 2007) referentes aos beneficiários do Programa Bolsa Família, revelam cerca de 9% de desnutrição, segundo o peso para idade, em crianças de até sete anos.

Comentários