“Plenário”, por Diógenes Brayner

0

As cores de Lula Os dissidentes do Partido dos Trabalhadores, que não aprovam a política previdenciária e a reestruturação econômica do Governo Luiz Inácio Lula da Silva, receberam proposta do presidente do partido, ex-deputado federal José Genoino, para que deixassem o PT e criassem outra sigla de apoio parcial ao presidente Lula. O pessoal recusou, porque deseja que o programa defendido pelos petistas, durante 30 anos, seja posto em prática neste momento em que a legenda está no comando do país. O deputado federal João Fontes (PT), por exemplo, considera muito estranho o comportamento do seu partido, que está expondo uma mudança radical em tudo o que pregou quando estava do outro lado do Poder. Aliás, para desilusão dos ideólogos, o próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva confessou que, para se eleger, teve que dizer muita bravata. Não se esperava isso de um cidadão que, durante três décadas, se expôs em favor dos trabalhadores e foi eleito pela esperança de mudança que transmitiu aos setores mais abandonados pelos politiqueiros que estiveram em seu lugar. Lula, agora, é a própria bravata… O deputado federal João Fontes tem quase certeza que o presidente Lula não vai conseguir muita coisa para favorecer à sociedade que confiou nos seus projetos e programas. Admitiu até que tudo vai ficar muito igual ao que o Partido dos Trabalhadores combatia no Governo neo-liberal de Fernando Henrique Cardoso. Estranhamente, velhos petistas ligados ao presidente, absorveram bem o programa social de FHC. Tanto que o rejeitaram antes, mas estão apresentando-o agora, porque queriam ser os donos desse projeto que maltrata principalmente aos aposentados, os quais voltarão a contribuir com uma previdência que pagou, por mais de 30 anos, para poder se aposentar. O trabalhador brasileiro não pode pagar pelo rombo previdenciário. Isso é um problema de Governo, de determinação política, porque além da corrupção existente no modelo que está aí, se ampara as grandes empresas que deixaram de recolher milhões de reais à Previdência, lesando o trabalhador e os cofres públicos. Além disso, esse projeto da Previdência, apresentado pelo Partido dos Trabalhadores, era tudo que a direita queria, para mostrar que, nas vitrines, todos vestem a mesma roupa e calçam sapatos largos. Há uma grande hipocrisia ao lembrar que alguns aposentados e pensionistas, inclusive membros do judiciário, recebem elevados valores mensais e se transformaram nos marajás do Brasil. Trata-se de uma jogada que destacou o então governador de Alagoas, Fernando Collor de Melo, a ponto de leva-lo a presidente da República. O resultado dessa bravata todos já sabem como terminou. A economista Conceição Tavares, uma das personalidades mais respeitadas pelo Partido dos Trabalhadores, chamou o ministro da Fazenda, Antônio Pallocci Filho, de analfabeto e disse que ele estava aprendendo as primeira letras no setor que administra. Palloci, inclusive, fez consultas a Jorge Soros para por em prática reformas econômicas. Soros é um dos homens mais entendidos na área de finanças, mas a sua política é direcionada para engordar financistas, especuladores e banqueiros. Quando Armínio Fraga foi nomeado por Fernando Henrique Cardoso para o Banco Central, a cúpula do PT quase vinha a baixo, exatamente porque Fraga era discípulo de Soros, ao qual Pallocci foi consultar. Mudou o PT ou mudou Jorge Soros… Fora toda essa trajetória na contra mão de seu projeto histórico, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já está se lançando candidato a reeleição. Em pronunciamento recente, disse que quatro anos não são suficientes para se fazer nada e que precisaria de mais tempo para colocar o Brasil nos eixos. Como politicamente o Governo não se acertou e, ironicamente, tem contado muito mais com o apoio da direita, porque Lula está bem mais abertos aos interesses dessa facção que o próprio Fernando Henrique Cardoso, é muito provável que os eleitores do PT, que acreditavam no primeiro emprego, na igualdade social, em melhor distribuição de renda, numa educação voltada para os segmentos mais distantes das escolas particulares e em salários dignos, estejam tristemente decepcionados nesse momento com o novo Messias que se propunha salvar a Pátria. Uma das decepções da esquerda é que o presidente Lula da Silva está trocando os companheiros de luta, por José Sarney, Antônio Carlos Magalhães e tantos outros que sempre se agarraram ao mandatário de plantão, já que nenhum deles tem identidade ideológica definida e muda de cor ao sabor das suas conveniências. COMISSÃO A Comissão Processante da Assembléia Legislativa, vai se reunir só depois que o deputado estadual Antônio Francisco enviar a sua defesa. O parlamentar tem dez dias para isso, com direito a prorrogação por mais dez. Depois da defesa de Antônio Franco é que a Comissão vai começar a ouvir o depoimento dos demais envolvidos no assassinato de Joaldo Barbosa. PROCURA O presidente da Comissão Processante, deputado Augusto Bezerra, disse, domingo, que o deputado Antônio Francisco ainda não procurou nenhum dos membros da Comissão para conversar ou antecipar a sua defesa. Antônio Francisco deve estar orientado pelos advogados, para prorrogar o máximo a entrega do documento em que vai declarar inocência. ARRUMAÇÃO O ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis (PTB), disse ontem que vai conversar esta semana com o deputado federal Jackson Barreto sobre a organização do partido em Sergipe. Jackson deve ficar com o comando do PTB ou indicar um nome como o de João Augusto Gama, para rearrumar o partido, que passou por um momento meio tumultuado. REELEIÇÃO Uma influente fonte do Partido dos Trabalhadores declarou, ontem, que o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT) será candidato à reeleição em 2004, para disputar o Governo em 2006. Se for reeleito, Déda assume em janeiro de 2005 e se desincompatibiliza em 30 de abril de 2006, permanecendo apenas 16 meses à frente do da Prefeitura. CANDIDATOS O senador José Almeida Lima (PDT) também mudou de idéia e é candidato à Prefeitura de Aracaju pelo seu partido. Também deve disputar a Prefeitura a deputada estadual Susana Azevedo (PPS). O deputado estadual Gilmar Carvalho quer disputar a Prefeitura pelo Partido Verde. Até o momento esses são os nomes que demonstram interesse em disputar a Prefeitura. REUNIÃO Dia 16 de maio a senadora Heloisa Helena e os deputados federais João Babá e Lindemberg Farias, trazidos pelo deputado João Fontes, estarão em Sergipe para reunir a esquerda. Vão discutir a Reforma Previdenciária e a economia do País. Quer reunir sindicatos, entidades de classe e a comunidade para explicar as contradições do Governo. GOVERNADORES Para o deputado João Fontes, a aprovação da Reforma da Previdência, na forma que vem sendo proposta, era tudo que os governadores queriam do Governo Lula. Justifica que essa mesma reforma fora proposta pelo Governo FHC e não foi aprovada por uma ação das oposições na época, comandada pela ala do PT que hoje defende o projeto. COLLOR O deputado federal João Fontes disse, ainda, que o presidente Lula está usando o mesmo argumento do ex-presidente Collor, para fazer a Reforma da Previdência: ressuscitando os marajás. Quarta-feira passada, João Fontes entrou com requerimento, pedindo uma auditagem em toda a Previdência Social, para ver se de lá saiu parte dos recursos para pagar a dívida externa. REPOUSO O governador João Alves Filho obedeceu às determinações médica e manteve repouso absoluto. Continua em casa e despacha com alguns poucos auxiliares. João não saiu de casa neste feriadão e submeteu a sessões de fisioterapia, para reduzir as dores provocadas por duas hérnias de disco. BRASILIA Por determinação dos médicos, o governador João Alves Filho (PFL) vai continuar submetendo-se a sessões de fisioterapia e estará liberado na segunda feira. Se puder vai a Brasília para acompanhar Lula na entrega do projeto de reforma da Previdência. Caso a hérnia volte a incomodar ele será representado pela vice Marília Mandarino (PPS), que participou da reunião com o presidente na Granja do Torto. RETORNA O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), desembarcou, segunda-feira, em São Paulo, procedente da França, onde, ao lado de outros colegas, percorreu várias cidades do interior daquele país. Foram ver como funcionam segmentos estruturais e de serviços nos municípios franceses. Marcelo Déda reassumiu a Prefeitura ontem cedo. ORLINHA Ainda como prefeito em exercício Edvaldo Nogueira (PCdoB) percorreu, segunda feira pela manhã, mesmo sendo feriado, algumas obras importantes de Aracaju, como a orlinha do Distrito Industrial e a avenida São Paulo. Os trabalhos estão adiantados. A previsão é de que a avenida será inaugurada em maio e a orlinha na primeira quinzena de junho. FAVORÁVEL A deputada Lila Moura (PFL) é favorável à criação da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, da forma como foi proposta pelo Governo do Estado. A deputada entende que é preciso preservar a natureza, desenvolvendo tecnologias que garantam o desenvolvimento auto-sustentável. Notas CONVERSA O deputado federal Jackson Barreto (PMN) passou todo o feriadão da semana santa curtindo a praias de Alagoas, mas desde ontem já começou a conversar sobre a organização do PTB, que esteve dividido entre o ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis, e o secretário para Assuntos Parlamentares, Clovis Silveira. Jackson Barreto já está convocando o seu pessoal para conversar sobre as filiações, inclusive do pessoal vinculado a ele no interior. No momento ainda não está definido se Jackson Barreto terá o comando do partido, já que ele vem se recusando a isso. LIBERAL O deputado federal Heleno Silva (PL) teve audiência, ontem, com o vice-presidente da República, José Alencar, para discutir a reformulação do Partido Liberal, levando em consideração as eleições municipais do próximo ano. Segundo Heleno, o seu partido já está preparando para disputar algumas Prefeituras do interior. Heleno não demonstra simpatia pela reforma da Previdência anunciada pelo Governo Federal e diz que se for para subtrair do salário dos inativos o seu partido votará contra, porque também considera que o aposentado não pode pagar novamente. PROCESSO A Polícia já encerrou todas as diligências e investigações sobre o assassinato do deputado Joaldo Barbosa, porque o processo já está na Justiça e os indiciados começam a ser ouvidos hoje pela juíza da 5ª Vara Criminal, Iolanda Guimarães. A partir de agora a ação da Polícia só ocorrerá atendendo a pedido da Justiça. Segundo importante fonte policial, as fotografias de Carlos Munganga e Floro Calheiros serão distribuídas por todo o Brasil e expostas em locais públicos, como procurados pela Justiça. O pessoal acha que só assim chegará aos dois. brayner@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais