PM cumpre mandado de reintegração e desocupa Loteameto Itacanema

0
A reintegração aconteceu nesta terça-feira, 20 (Foto Ilustrativa/Arquivo Portal Infonet)

Equipes da Polícia Militar de Sergipe cumpriram mandado judicial de reintegração de posse para desocupar o Loteamento Itacanema, no município de Nossa Senhora do Socorro. O mandado de reintegração de posse foi expedido pela juíza Eneida Lupinacci Costa, da 1a Vara Cível da Comarca de Nossa Senhora do Socorro, manifestado em processo judicial movido por Paulo Rezende Cardoso, que se declara proprietário da área.

O major Sílvio Mário, comandante interino do 5o Batalhão da Polícia Militar, informou que os ocupantes do terreno reagiram e tentaram impedir o cumprimento do mandado judicial, espalhando pneus e ateando fogo. O Corpo de Bombeiros foi acionado, apagou as chamas e o material foi recolhido. E a desocupação foi realizada com sucesso, segundo a ótica do major Sílvio Mário. “Sem resistência, sem desobediência, sem agressão física”, destacou o major.

Segundo o major, os barracos foram destruídos e os utensílios dos ocupantes da área foram retirados e transportados para os locais indicados pelas próprias famílias que estavam residindo naquela área. Na decisão judicial, a juíza deu ciência ao Conselho Tutelar e à Secretaria Municipal de Assistência Social de Nossa Senhora para os respectivos representantes acompanhassem toda operação de desocupação da área e determinou que a Prefeitura de Socorro identifique, individualmente, os ocupantes e realize o cadastro para incluí-los nos programas sociais.

A assessoria de imprensa informou que o terreno é de propriedade particular e que assistentes sociais da Secretaria Municipal de Assistência Social acompanharam a reintegração. Segundo a assessoria, a prefeitura continua acompanhando os desdobramentos da reintegração de posse e somente se manifestará quando a equipe da Assistência Social concluir o relatório. A assessoria acredita que na quarta-feira, 21, a prefeitura terá condições de identificar o tipo de ação que deverá ser realizada para amparar as famílias, mas antecipou que alguns ocupantes vieram de outros municípios.

Por Cassia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais